Siga-nos nas redes sociais

Ao montar uma startup, independente do tipo de problema que ela deseja solucionar e qual ramo ela está inserida, os empreendedores devem trazer um serviço inovador e que, geralmente, tenha bases tecnológicas.

Esse tipo de negócio tem ganhado espaço no mercado brasileiro. Segundo pesquisas, em seis anos o número de startups mais do que dobrou no Brasil, formando uma nova geração de empreendedores no país.

Entretanto, mesmo com um alto crescimento, o mundo das startups ainda possui certos mitos dentro do cenário nacional, fazendo com que muitos empreendedores apresentem dúvidas acerca do assunto. E, com certeza, um dos grandes problemas encontrados pelos empreendedores de startup é como ele deve administrar o desenvolvimento da sua ideia.

Como eu disse, esse tipo de negócio inovador, geralmente, apresenta bases tecnológicas. Mas o que fazer quando você, empreendedor, não entende quase nada de desenvolvimento (programação)?

Essa questão possui muitas alternativas, como elencou a revista Forbes, mas as mais recorrentes são:

  • Busca por um sócio técnico
  • Terceirização com freelancer
  • Terceirização com empresa especializada

E é sobre essas três alternativas que irei falar nesse texto, mostrando quais são os benefícios e malefícios de cada uma e se existe uma solução melhor do que a outra.

Buscar um sócio técnico ou uma empresa para desenvolver minha startup

Em busca do CTO perfeito

Ao abrir uma startup é comum pensar que ter um sócio técnico ao lado é a melhor maneira de desenvolver o seu produto. E de fato, ter alguém com um conhecimento em tecnologia e desenvolvimento como contribuidor é muito interessante para uma pessoa que não possui domínio sobre o assunto.

Sócios devem se complementar e juntar as suas habilidades. E por possuir uma parte na empresa, além de interesses alinhados com os seus, ele vai buscar entregar todo o seu potencial no desenvolvimento do produto, tanto em tempo dedicado quanto na qualidade.

Além disso, ter um sócio técnico pode ser muito vantajoso para o bolso do empresário. Se você ainda não possui condições de oferecer um alto salário a um desenvolvedor, você pode torná-lo seu sócio oferecendo uma parte na empresa, afinal, ele está apostando na sua ideia.

Por essa situação atrativa, é comum encontrar em fóruns e comunidades de empreendedores, pessoas procurando por programadores dispostos a comprar a ideia delas, fora os inúmeros artigos que se propõe a mostrar como você deve buscar um CTO para a sua empresa espalhados pela web.

Porém, o empreendedor iniciante acaba passando por diversos problemas na hora de encontrar alguém disposto a se juntar a ele em sua startup. O primeiro deles é a falta de conhecimento da área para poder avaliar um desenvolvedor.

Como eu disse em um artigo postado em nosso blog:

Se está começando do zero, esse é o pior cenário, a chance de contratar um CTO ou o primeiro programador errado é grande, pois além da falta de referências, falta prática na contratação e conhecimento de gestão de pessoas.

Essa falta de conhecimento pode acarretar em uma frustração enorme para você que possui uma expectativa, ao começar o projeto, que talvez o seu sócio não consiga te entregar. E não é porque ele não queira, mas sim por você não saber avaliá-lo de uma maneira correta, relacionando os conhecimentos dele com os interesses da sua ideia.

Uma troca pouco atrativa

Além da falta de experiência para encontrar um bom desenvolvedor, buscar por um sócio técnico pode levar muito tempo e ser realmente cansativo se você achar que existe um caminho óbvio para ter um.

Oferecer uma porcentagem na empresa em troca do desenvolvimento da sua startup pode parecer interessante de certo ponto de vista, mas um profissional que aceita esse tipo de troca está assumindo um risco enorme.

Desenvolvedores recebem altos salários e lideram o ranking de remuneração na área de tecnologia. Por isso, encontrar um profissional competente disposto a abrir mão do seu salário para receber uma porcentagem em uma startup, que não possui mensuração de chance de sucesso, é muito difícil e você tem altas chances de falhar em sua proposta.

Você não encontra um sócio técnico, você o conquista. E na maioria dos casos você só irá convencer alguém a apostar na sua startup se ela já possui uma certa previsão de crescimento.

Então, adiar cada vez mais a validação da sua ideia para buscar um sócio técnico pode comprometer a sua startup já no início.

O sócio de mentira

Buscar um sócio técnico ou uma empresa para desenvolver minha startup - O sócio de mentira

O papel de um sócio dentro de uma empresa é extremamente importante para o desenvolvimento dela, principalmente dentro de uma startup onde, muitas vezes, são os próprios sócios que comandam toda a administração da empresa em seus diversos setores.

Em contrapartida, o trabalho de um desenvolvedor é minucioso e possui outro foco, que não é a administração da empresa. Sendo assim, ao colocar o desenvolvimento do seu projeto digital somente nas mãos do seu sócio, você está retirando dele o papel de administrador do negócio e o dando um papel que não é de um sócio, mas de um programador.

E isso não acontece por sua culpa ou por culpa do seu sócio técnico, mas por causa do próprio trabalho que ele tem que dar conta. O desgaste da programação acaba o afastando das outras tarefas, e ele não terá a oportunidade de mostrar as visões estratégicas de crescimento da empresa que ele possui.

Isso não quer dizer que a sua startup nunca poderá ter um sócio técnico. E é bom esclarecer que o intuito do texto não é excluir essa possibilidade, mas somente de te mostrar os pontos positivos e negativos da busca por um.

No mundo empresarial não existe uma regra para tudo e cada empresa tem o seu modus operandi e seu tempo para precisar e conquistar certas coisas. Por isso, você deve verificar as suas necessidades de tempos em tempos e saber quais serão as suas estratégias para os próximos passos.

Entretanto, por mais que você tenha um sócio técnico, dar a ele toda a responsabilidade de um projeto pode não ser a escolha certa. Esse conselho se intensifica se a sua empresa estiver começando agora e precisa com urgência do desenvolvimento do seu projeto.

Em determinados casos, o sócio técnico pode auxiliar uma equipe terceirizada, traduzindo as necessidades da regra de negócio de maneira efetiva e mais organizada. O conhecimento dele irá ajudar a empresa e ele não precisará abdicar de suas outras responsabilidades como sócio.

Os programadores independentes

Uma outra alternativa para o desenvolvimento digital é a contratação de um programador freelancer. Em média, contratar esses profissionais é mais barato se compararmos com uma empresa de desenvolvimento, o que chama a atenção de muitos empresários, principalmente os que estão começando agora.

Além do preço mais baixo, a flexibilidade de horários e de comunicação é um ponto positivo na contratação de um programador freelancer. Como trabalham sozinhos, não precisam dar satisfações a outras pessoas, e tudo pode ser resolvido rapidamente com o próprio desenvolvedor.

Por serem programadores autônomos, cada um pode apresentar habilidades muito específicas. Se você tem uma noção de programação e sabe qual tecnologia será melhor para o seu projeto, basta você procurar alguém que possui as qualificações corretas para melhor desenvolver a sua startup.

Técnico, mas não sócio

Buscar um sócio técnico ou uma empresa para desenvolver minha startup - Técnico mas não sócio

Como toda alternativa, a contratação de profissionais freelancer apresenta vantagens e desvantagens, e muitas dessas características são comuns ao sócio técnico. Entretanto, devemos lembrar que um freelancer não tem parte na empresa, e esse detalhe faz toda a diferença.

Um desenvolvedor independente, geralmente, possui diversos outros projetos para entregar e a dedicação, que talvez você esteja esperando, pode não existir. E como ele não possui uma relação societária com a sua startup e gerencia os projetos que faz de maneira autônoma, ele pode decidir não prestar mais serviços para você e a sua empresa.

Com diversos projetos para entregar e falta de uma equipe para dar suporte, alguns detalhes podem passar despercebidos pelo profissional, fazendo com que a qualidade do seu produto fique comprometida.

Além disso, se você não tem experiência na área de tecnologia, não adianta, as chances de contratar um programador sem as qualificações corretas para o seu projeto são altas. E caso isso aconteça, você pode comprometer toda a sua ideia antes mesmo de colocá-la no mercado.

Outro ponto negativo é a falta de gerenciamento do trabalho do desenvolvedor. Como, na maioria das vezes, esses profissionais cobram por hora e não por produtividade, você não tem garantia de que ele irá realmente fazer algo significativo nesse período.

E a terceirização com empresas de desenvolvimento?

As empresas de desenvolvimento de software ainda enfrentam algumas barreiras dentro do mercado. Muitos empresários desconfiam da terceirização e não se sentem confortáveis compartilhando suas ideias com terceiros e, por isso, buscam por outras opções, como, por exemplo, um sócio técnico.

A falta de confiabilidade nas empresas terceirizadas é causada por alguns outros pontos, como preocupação com qualidade e produtividade das equipes terceirizadas, comunicação transparente com os desenvolvedores, prazos e o preço do serviço, já que a terceirização é uma opção de maior desembolso que as demais.

Uma empresa de desenvolvimento de projetos digitais não é um sócio no qual você está sempre do lado e tem um diálogo altamente transparente, e essa é uma das maiores queixas de empresários que optaram pela externalização do desenvolvimento de seus projetos.

Durante a minha experiência com terceirização, ouvi muitos clientes reclamando que em seus antigos trabalhos com empresas de desenvolvimento eles se sentiam no escuro durante a construção do projeto. E esse foi um dos pontos que tive certeza que deveria ser um diferencial na GoBacklog.

Uma boa empresa de tecnologia deve fazer com que o cliente se sinta no controle do desenvolvimento do seu produto, deixando-o a par de tudo que os desenvolvedores estão fazendo e um espaço aberto para recebimento de feedbacks e qualquer pedidos de mudanças no projeto.

Costumo falar que muitos dos problemas que as pessoas atribuem à terceirização são altamente questionáveis. Existem diversas empresas especializadas no desenvolvimento digital e você deve procurar a que melhor se adapta ao seu perfil e ao perfil do seu projeto.

Buscar um sócio técnico ou uma empresa para desenvolver minha startup - E a terceirização com empresas de desenvolvimento

Qualidade

Eu já tive experiências com alguns empresários que questionavam a qualidade dos produtos terceirizados. Esse questionamento é causado principalmente pela desconfiança de ter que colocar o seu projeto nas mãos de outras pessoas. As prioridades não são as mesmas e isso faz com que os empreendedores fiquem aflitos com a situação.

Porém, pensar que uma empresa de desenvolvimento não te entregará um produto de qualidade pode ser contraditório, já que é o sucesso do cliente que faz com que ela possa crescer e permanecer no mercado.

É importante lembrar que se o foco da empresa é o desenvolvimento de projetos digitais, os profissionais de desenvolvimento serão avaliados por pessoas que possuem experiência na área, fazendo com que o time que prestará serviços a você seja altamente competente, na maioria dos casos.

Produtividade

Já a produtividade não está atrelada somente com a equipe, mas também com a comunicação transparente, na qual falei anteriormente, entre a empresa e o cliente. O desenvolvedor deve saber exatamente o que deve fazer, e para isso acontecer os interesses do contratante devem estar claros para todos.

Aqui na GoBacklog, por exemplo, quando o assunto é a tecnologia utilizada, procuramos trabalhar junto ao cliente para encontrar aquela que melhor se encaixa. Ou seja, analisamos o que o cliente precisa e quer, mas também somos uma equipe proativa que propõe o que realmente é melhor para o projeto, dando transparência a todo processo.

Além da comunicação, existem alguns métodos capazes de aumentar o desempenho da equipe pela empresa. A técnica Pomodoro é um exemplo disso, já que através de um ciclo entre trabalho e pausas, garante o foco e aumenta a produtividade do profissional.

Prazos

Nascemos em uma sociedade regida pelo tempo e, logicamente, também pelos prazos. Principalmente quando falamos em empresas, onde temos que corresponder às expectativas do mercado. E, por isso, esperamos que tudo tenha um prazo para um sentimento de controle daquilo que estamos fazendo.

O problema é que, quando falamos de tecnologia, tudo se encontra em constante mudança. O que hoje pode parecer bom, amanhã pode não ser mais e temos que adaptar o seu projeto para aquilo que melhor se encaixa no mercado.

Algumas empresas trabalham com a questão dos prazos em desenvolvimento digital, mas, pelo que meus treze anos de experiência me mostraram, muitos projetos que tinham prazos de determinado tempo, acabavam sofrendo atrasos, deixando o cliente frustrado com a equipe, mesmo sendo culpa da constante mudança tecnológica que o mercado de programação sofre.

Outro ponto importante a se pensar é na proposta que a startup apresenta. Por sempre se tratar de uma inovação, ainda não existe nada no mercado que possa te inspirar de maneira completa e muitas das coisas serão descobertas ao longo do desenvolvimento do seu projeto.

O planejamento de uma startup requer tempo, pois mesmo após ter uma ideia inovadora, você precisa validá-la, ter certeza que ela faz sentido dentro do mercado. Por isso, exigir prazos irreais para o desenvolvimento do seu projeto, é não compreender a dimensão da sua própria ideia.

Isso não quer dizer que você deva ficar no escuro sobre a finalização do seu produto. A expertise da empresa deve permitir que os profissionais trabalhem com uma expectativa, que pode vir a ser alterada de acordo com as variáveis que forem aparecendo durante o processo.

Buscar um sócio técnico ou uma empresa para desenvolver minha startup - Prazos

Preço

Se analisarmos o preço desembolsado imediatamente, os serviços terceirizados de desenvolvimento são, sem dúvida, mais caros do que possuir um sócio técnico. Entretanto, se formos observar esses gastos a longo prazo, essa afirmativa pode mudar.

Dentro de uma empresa terceirizada você terá uma equipe especializada em diversas áreas, capaz de aplicar as tecnologias certas no seu projeto. Além disso, a gestão da equipe não se torna uma preocupação, já que existem gestores de tecnologia e produto preparados para transformar a sua ideia em um produto que consiga atender os seus clientes.

Estruturar uma equipe com as mesmas qualificações que uma empresa de desenvolvimento custaria muito mais do que o cobrado por elas para desenvolver o seu projeto.

Já se o seu projeto estivesse somente nas mãos do seu CTO, por mais empenhado que ele seja, a entrega não será tão rápida quanto a de uma equipe especializada, fazendo com que a startup demore a funcionar e, logicamente, a ganhar dinheiro.

Ou seja, a terceirização acaba sendo uma alternativa barata para desenvolver o seu projeto, já que os esforços de gestão e os gastos com uma equipe altamente especializada não seria uma preocupação da sua startup, mas sim da empresa contratada.

Conclusão

O desenvolvimento de um projeto digital é parte primordial de uma startup. Como disse na introdução, muitas das ideias inovadoras possuem soluções baseadas na tecnologia, e é esse produto que transformará a sua ideia em realidade. Por isso, saber qual alternativa usar para esse desenvolvimento é primordial para um futuro bem sucedido.

Se você estiver buscando por qualidade e tranquilidade sobre o gerenciamento do projeto, a melhor opção para você pode ser a terceirização. O que não exclui a ideia de possuir um sócio técnico agora ou futuramente, já que ele pode te auxiliar e trazer novas ideias para a sua startup.

Por fim, espero que este texto tenha te ajudado a conhecer o outro lado da busca por um sócio técnico e também da terceirização, e que através disso você saiba qual estratégia melhor corresponde às necessidades da sua startup.

E aí, quer tirar sua ideia do papel? Entre em contato conosco e vamos conversar.

Daniel Antunes

Fundador e CEO da GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de projetos digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Empreendedor, Investidor e Graduado em Sistemas de Informação, Pós-graduado em Engenharia de Software e também em Gestão Estratégica de Negócios e Projetos, com mais de 10 anos de experiência no mercado de internet.
Fechar