Siga-nos nas redes sociais

Startups promissoras precisam captar recursos — e nesse cenário todas as opções são válidas. Podem ser empréstimos, financiamentos ou alguém com recursos financeiros que esteja disposto a apostar na ideia, como um investidor anjo.

Atrair a atenção de um investidor anjo pode ser o impulso que falta para um empreendimento alcançar a sonhada escalabilidade. Quer saber mais sobre esse tema? Continue conosco neste post!

O que é um investidor anjo?

O termo surgiu nos Estados Unidos e era uma expressão usada para definir investidores que aplicavam em peças apresentadas na Broadway. Eles utilizavam recursos próprios, sem nenhum banco ou empresa como garantia, e assumiam todos os riscos.

Atualmente, o conceito pode ser entendido como o financiamento de pequenos empreendimentos promissores. Desde que seja feito com capital próprio por uma pessoa física.

Qual o perfil do investidor anjo?

De modo geral, o investidor anjo atua ou já atuou como empresário, teve êxito em seus empreendimentos e já está consolidado em sua carreira. Isso o torna capaz de investir sua experiência e seu capital em startups em cujo potencial acredita.

É comum que aplique entre 5% e 10% de seu patrimônio próprio. Mesmo quando é um profissional bem-sucedidos, entretanto, não se tratam de grandes fortunas. Ainda assim, podem significar um grande investimento para quem está no começo.

Os investidores anjo costumam seguir algumas regras quando optam pelo destino de seus recursos. Entre elas:

  • solicitam participação minoritária na empresa;
  • atuam como mentores ou conselheiros no empreendimento;
  • investem, além do dinheiro, tempo, experiência e contatos;
  • dividem o custo do investimento com outros investidores anjo.

Como obter um investimento anjo?

Caso esteja nos planos de sua empresa conquistar um investidor anjo, essa possibilidade deve ser contemplada já no plano de negócios. O ideal é dividi-la em duas etapas:

  • planejamento e estruturação do empreendimento;
  • captação de investimentos e recursos.

Além disso, outros estágios devem ser levados em consideração para que tudo corra bem. Veja quais são eles a seguir!

Saiba quem é o investidor anjo

Para fazer uma proposta que atraia potenciais investidores, nada melhor do que conhecê-los. Dessa forma, pode-se oferecer exatamente a oportunidade que eles procuram e, assim, aumentar as chances de ser escolhido.

É possível contratar um profissional (conhecido como advisor) para obter orientação sobre as etapas do processo de captação. Ele tem a experiência necessária e conhece artimanhas que podem facilitar o procedimento.

Entenda as expectativas dos clientes

Entender as expectativas dos clientes potenciais e saber se o negócio é capaz de atendê-las é essencial para provar o valor da empresa para o mercado. Analise seus concorrentes e encontre sua vantagem competitiva. Além disso, aprenda com os erros e acertos de quem trabalha ou já trabalhou na área.

Descubra quem procurar

Verifique quem são os investidores anjo que podem se interessar pela sua ideia. Para isso, considere suas experiências e seus investimentos prévios. Assim, terá mais chances ao falar com quem já conhece sua área de atuação.

Saiba apresentar sua ideia

Tenha um modelo funcional do empreendimento. A ideia é apresentar o que a empresa tem a oferecer e como ela vai funcionar na prática. É necessário que a demonstração englobe tanto a captação de um investidor anjo quanto de consumidores.

Não esqueça de incluir na apresentação quem é o cliente potencial, quais são seus diferenciais e suas estratégias, quanto precisa que seja investido e qual a projeção de faturamento. Essas são as principais informações que o investidor anjo vai querer saber antes de aceitar investir na ideia.

Gostou deste post? Então, curta nossa página no Facebook para receber outros conteúdos semelhantes.

Daniel Antunes

Fundador e CEO da GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de projetos digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Empreendedor, Investidor e Graduado em Sistemas de Informação, Pós-graduado em Engenharia de Software e também em Gestão Estratégica de Negócios e Projetos, com mais de 10 anos de experiência no mercado de internet.
Fechar