Siga-nos nas redes sociais

Com uma metodologia de desenvolvimento que busca democratizar cada vez mais a utilização dos aplicativos e trazer uma melhor experiência aos usuários, o Progressive Web Apps (PWA) tem sido uma ótima alternativa e solução para quem deseja uma melhor performance e maior velocidade, sem precisar baixar um aplicativo, mas com a mesma experiência de um aplicativo nativo.

Neste episódio da série Conversando com o C-Level, o nosso CTO, William Oliveira fala sobre essa tecnologia que nasceu em 2014 (e que está ganhando muita força) que promete levar uma aplicação mais leve e muito mais rápida para os seus usuários.

“Eu acho que dados falam mais que opiniões. Se a gente tem todos esses dados e cases que a própria Google e Microsoft estão fazendo em cima da aplicação do PWA, acho que é um excelente investimento”.

O Google popularizou o conceito de Progressive Web Apps (PWA). O que é o PWA?

O PWA é mais uma metodologia de desenvolvimento de software do que uma tecnologia por si só. É importante destacar que ele une duas coisas: a utilização de tecnologia da web, no qual já podemos estar familiarizados, como a HTML, CSS, Javascript, entre outros, com o desenvolvimento de aplicativos nativos.

Essas duas tecnologias se unem e cria-se uma aplicação híbrida, ou seja, é feita uma aplicação que é responsiva para qualquer plataforma, nessa transição que a gente tem hoje de aplicativos nativos para o celular e aplicações web, ela se encaixa então no meio disso. Nela existem algumas funcionalidades nativas do aparelho, mas não chega ao ponto de uma aplicação nativa desenvolvida na linguagem do próprio sistema operacional do celular.

Acesse o nosso texto PWA: O que são Progressive Web Apps e por que usar? e entenda mais sobre essa tecnologia.

Empresas como o Google e Microsoft enxergam o PWA como o futuro dos projetos de aplicativos, atuando em conjunto para divulgar a tecnologia. Qual o diferencial deste modelo de desenvolvimento para o mercado digital?

O principal diferencial desse modelo de desenvolvimento é que você pode pegar uma equipe que já está familiarizada com a web, o que é muito comum hoje em dia, e trabalhar os mesmos conceitos focando no mercado mobile. Por isso não existe toda aquela transição, onde, principalmente hoje, você tem um mercado digital tão aquecido, com pessoas que precisam lançar novas funcionalidades e aplicações o tempo todo, e é daí que vem o Progressive dentro do PWA, que significa Progressive Web Applications.

O Progressive vem justamente dessa necessidade de estar o tempo inteiro progredindo com aplicações. Existe um custo e um tempo de desenvolvimento muito maior que uma aplicação nativa, enquanto com o PWA você tem uma velocidade e o treinamento da sua equipe muito mais rápido. Essa é a grande sacada do PWA e por isso muitas empresas estão olhando e investindo nela.

Pensando a longo prazo, você acha que o PWA tomará espaço dos aplicativos nativos? Estes aplicativos correm o risco de serem extintos do mercado?

Dizer que serão extintos é complicado afirmar. Eu acredito que para uma fatia de mercado, onde o PWA se encaixa e tem um fit muito bom, dependendo da sua aplicação, pode ser sim que ele tome o lugar de várias aplicações nativas.

Nós temos por exemplo casos como o Alibaba, que substituiu as operações deles pelas aplicações do PWA, justamente para ter esse ganho em tempo de desenvolvimento e performance, porque o PWA te permite ter uma performance web muito mais rápida, onde é possível ter um sistema de entrega de arquivos mais rápidos, dependendo do jeito que for arquitetada a sua aplicação, então eles fazem hoje o uso do PWA.

O Uber também tem uma alternativa PWA, que é o m.uber.com (acesse pelo smartphone). Ao acessar e salvá-lo em sua área de trabalho do celular, ele abre como se fosse o aplicativo nativo. Por isso, muitas empresas grandes, como a Microsoft e a Google já vêm portando seus serviços, como o YouTube, para o PWA, justamente por esses ganhos apresentados.

O PWA pode ser usado como alavanca para novos negócios. Empresas como Alibaba obtiveram aumento nos lucros depois da implementação desta tecnologia. No Brasil, o PWA tem o custo muito elevado para uma empresa?

Na verdade é ao contrário, o custo seria bem menor. Já tem equipes que já trabalham com essa tecnologia. Como eu disse anteriormente, o PWA é um conceito, então às vezes as pessoas se assustam achando que vão ter que aprender algo completamente novo. O que acontece é que você aprende partes do processo, por isso é uma metodologia onde você vai pegar essas partes, acoplar sua aplicação e transformá-la em um PWA.

Não é preciso mudá-la radicalmente. Não seria como reescrever tudo do zero, mas sim mudar o mindset de como ela é desenvolvida. Então você aproveita um time que já sabe web, já é especialista nesse assunto e usa isso a favor do PWA. É possível ter resultados melhores, mais eficientes e com um custo menor.

Leia mais sobre 13 Exemplos de Progressive Web Applications

Existe um apelo de inclusão muito grande no uso do PWA. Eles são leves e rápidos, ideais para serem aplicados em mercados emergentes. Como isso pode impactar na inclusão e aumenta da base de usuários para a empresa?

Hoje existe um cenário, principalmente no Brasil e em outros países emergentes, em que o consumo de aplicativos versus aparelhos high and, que são aparelhos com muito potencial para instalar diversos aplicativos e tem um espaço de memória muito grande, é baixo. Então no Brasil você não tem tantas pessoas com acesso à essa tecnologia. O PWA vai incluir essas pessoas.

Eu, por exemplo, não gosto de baixar aplicativos. Então uma pessoa que não tem acesso a toda essa tecnologia high and, com um aparelho mais simples, vai conseguir ter acesso a toda tecnologia que a gente pode oferecer.

O objetivo é diminuir esse atrito que existe hoje entre uma pessoa que está no interior, que tem um acesso 3g e muitas vezes não funciona direito. Quando ela quer baixar um aplicativo de 100 mb ou 200 mb, ou até mesmo outros, que acabam ultrapassando essa faixa. Então ter isso facilmente, abrir uma página na internet, adicioná-lo em sua área de trabalho, e depois aplicá-lo com o aplicativo nativo, é algo muito forte para essas pessoas, é algo que realmente vai levar a tecnologia além.

Então ter isso facilmente, abrir uma página na internet, adicioná-lo em sua área de trabalho, e depois aplicá-lo com o aplicativo nativo, é algo muito forte para essas pessoas, é algo que realmente vai levar a tecnologia além.

A ideia é transformar esse cenário que a gente tem hoje, que é o de pessoas que às vezes tem que escolher entre um aplicativo e outro. Muitas vezes essas pessoas pensam “ah, eu vou baixar um aplicativo, só que não tenho espaço, então qual deles eu vou deletar?”. Existe sempre essa história. Ao invés de desejar ter um aplicativo, à pessoa está sempre pensando em qual dos outros vai deletar para ter aquele lá. O PWA elimina então essa parte do processo.

Existem diversos cases de sucesso de aplicação de PWA e aumento de vendas em ecommerces. Há casos em que as conversões aumentaram mais de 70%. Com essa perspectiva, migrar para PWA pode ser um bom investimento neste momento?

Eu acho que dados falam mais que opiniões. Se a gente tem todos esses dados e cases que a própria Google e Microsoft estão fazendo em cima da aplicação do PWA, acho que é um excelente investimento. Você vai ter ganho de performance, ganho de velocidade no desenvolvimento da sua aplicação, ganhos também na conversão que você está fazendo, na adoção de uso da aplicação. Então não vejo porque não seria um bom investimento.

Links para leitura

Priscylla Silva

Especialista de Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Jornalista, apaixonada por Marketing e uma grande fã de inovações tecnológicas.
Fechar
1
Oi, tudo bem? Como posso te ajudar?
Powered by