No início dos anos 2000, o Manifesto Ágil foi lançado e forneceu uma alternativa muito necessária para o desenvolvimento de produtos, que muitas vezes era impreciso e orientado por apenas por uma documentação não padronizada.

Essa nova abordagem foi revolucionária porque incentivou as equipes de produto a desenvolverem em menos etapas e com mais eficiência.

Nessa época, o design e o pensamento de design UX estavam ganhando força, direcionando o desenvolvimento de produtos para os clientes e não somente para as partes interessadas internas ao negócio, que visavam apenas o lucro.

O que levou as novas equipes de produto a usarem uma abordagem mais centrada no cliente para o desenvolvimento de produtos, formando futuramente o processo de Product Discovery.

Desenvolva a Solução que o seu Negócio precisa

O que é Product Discovery ?

O Product Discovery é um método de entendimento profundo de uma Solução Digital. Ele tem como premissa o estudo de um produto, levantando dados de como ele se encaixa no mercado, como o seu público reage a solução proposta e o que ele precisa para sair do papel.

É uma etapa crítica no processo de design do produto, já que é feito o seu planejamento de forma direcionada, ou seja, da maneira certa para o público certo, reduzindo a incerteza em torno da Solução.

Qual sua importância na criação de um produto?

Primeiramente, é bom entendermos que a técnica fornece valor para a equipe de produtos, para a empresa e para os clientes, entregando resultados que são realmente necessários para todos os envolvidos.

O processo de criação de um Product Discovery permite que as equipes vão além dos recursos que já são normalmente utilizados e das tendências do mercado, criando um produto mais personalizado para o usuário.

Isso mostra que, as necessidades desfrutam de maior demanda e maior sucesso. A diferença entre um produto necessário e um produto agradável, é simplesmente a eficacia desse produto.

Quando as empresas falham nisso, geralmente é porque elsa não fizeram pesquisas detalhadas com os clientes e basearam seu produto em suposições.

Além do que, garante que a empresa que está desenvolvendo e a equipe envolvida na criação do produto, estejam no caminho certo ao priorizar e construir uma solução que será bem sucedida. Não desperdiçando recursos valiosos na busca de idéias erradas e desenvolvendo produtos que ninguém deseja.

Apesar da clara vantagem de realizar o Product Discovery com base em pesquisas com clientes, a maioria das empresas não fazem isso por um principal motivo: Coletar dados do cliente e trabalhar constantemente para aprofundar a compreensão de de suas necessidades, tende a ser demorado.

Mas para isso, existem diversos tipos de análises que podem ser realizadas através de dados quantitativos e análises empíricas, ao se estudar o comportamento do consumidor em um determinado mercado, ou a aceitação do público a uma nova ferramenta, por exemplo.

Etapas que envolvem um Product Discovery

Para conduzir ou melhorar o processo de criação de um Product Discovery, é preciso ir além do escritório. Ou seja, é necessário conhecer o mercado e o seu público alvo, ouvindo o que eles têm para dizer sobre a solução proposta e levando as suas opiniões em consideração.

Como dito por Teresa Torres, professora de design e fundadora do Product Talk.

Seus clientes são a fonte de toda a verdade para a descoberta de produtos, porque os clientes sabem mais do que jamais saberemos sobre suas necessidades e contexto.

Com isso, veja alguns passos que podem ser seguidos para a construção de um produto. Lembrando que não existe uma regra, e em cada caso, alguns critérios serão utilizados ou não.

Pesquisar e compreender os problemas dos clientes

Embora sempre exista uma necessidade comercial para justificar a oportunidade de um novo produto, o seu sucesso depende, em última análise, da capacidade de resolver os problemas do usuário.

Então, esse é o ponto de partida de qualquer Product Discovery, entender as dificuldades de seus prováveis clientes.

Mesmo, nos casos em que esteja procurando uma maneira de melhorar um produto existente, que já está em uso, ou está prestes a criar algo que visa atender a uma necessidade não resolvida, é fundamental identificar o que seus usuários querem e precisam.

Selecionar as principais soluções

Depois de desenvolver um entendimento básico de qual problema os usuários estão lidando, é preciso pensar nas soluções que são adequadas ao seu negócio.

Nesse momento, é importante manter a mente aberta para as soluções que fogem do que é comum. E daí surgem problemas com algumas abordagens tradicionais, como a de brainstorming, porque as pessoas tendem a seguir o que sabem.

Para contornar problemas como esse, soluções simples podem ser pensadas. Como um estudo de mercado, porque é possível verificar como as outras empresas atuam no mercado, e a aceitação das mesmas com o público. A partir disso, é possível observar os diferenciais, e os gargalos existentes naquele setor.

Criar protótipos

Para você conseguir de fato saber o quanto o seu produto é útil para seus clientes, é preciso encontrar uma maneira prática de transformar suas idéias mais promissoras em protótipos que consigam demonstrar o que seu produto representa.

Embora as ferramentas de prototipagem sejam o diferencial de um Product Discovery, você deve ter em mente que não precisa usá-las ou não deve usá-las apenas por isso. Em vez disso, concentre-se no desafio de simular uma experiência para validar suas idéias à sua frente.

Portanto, assim como a maioria das ações em um ambiente ágil, o processo de construção de um protótipo deve consistir em constante convergência e divergência. A equipe de criação se reúne para discutir as próximas etapas, escolher as melhores maneiras de executar as tarefas e volta para revisar o progresso, aprendizados e possíveis adoções.

Por fim, muito importante, é que não se limite ao seu primeiro protótipo. Permita que ele cresça e se desenvolva com o tempo.

Validando suas idéias por meio de experiências

Há principal razão pela qual você precisa entender o seu problema, provar hipóteses e ideias antes de começar a alocar uma equipe para trabalhar nela, se deve pela maneira no qual os recursos serão alocados. Seja, dinheiro, tempo e pessoas.

Para se questionar sobre o assunto, é só pensar: Por que eu sei que esta é uma boa oportunidade para gastar tempo, pessoas e dinheiro?

Então, enquanto você gasta tempo e dinheiro na criação de um Product Discovery, é hora de verificar se você está correndo na direção certa, por meio da validação.

Tudo até esse momento era apenas a fase inicial do seu processo. E, embora o processo seja sempre iterativo e contínuo, a entrada no estágio de validação sempre carrega um certo peso.

Alguns erros erros são bem comuns na validação de um produto, seja ele causado pelo viés de confirmação, pelo equívoco na hora de escolher as hipóteses, ou no uso do método errado para fazer sua pesquisa.

Por isso, é uma etapa que requer muita atenção, e que pode ser melhor desenvolvida por uma equipe preparada para isso, pois seus resultados são cruciais para o fim do processo.

Refinar os resultados do seu produto

Como já foi dito, o processo de criação de um Product Discovery raramente é um processo linear. Durante ou após a fase de validação, é provável que você precise dar um passo atrás. Seja para escolher novas idéias para testar em uma de suas sessões de ideação ou voltar à fase inicial de pesquisa.

Porém, depois de chegar a um conjunto de suposições e ideias validadas, prontas para se transformar em um produto real na forma de uma primeira iteração ou MVP, o trabalho continua.

Essa fase do processo de descoberta do produto é crucial para transformar suas ambições em resultados: é hora de preparar e fazer a transição das idéias para a entrega do produto.

Outro desafio durante a fase final no seu processo é listar as pendências e pensar em possíveis lançamentos. A visão geral da ideia do seu produto ou recurso o guiará ao longo do caminho, mas não deve impedir de consultar os passos anteriores, nem aprender com base nos comentários dos usuários.

Entregáveis de um Product Discovery

Existem diversas metodologias e entregáveis, que podem ser derivadas de um Product Discovery. Porém, vamos destacar as que são utilizadas no processo utilizado pela GoBacklog.

Pesquisas de mercado

Através de uma Pesquisa de Mercado, é possível coletar e analisar dados que são capazes de ajudar no planejamento de um negócio ou um projeto. Essa ferramenta, então, corrobora para a diminuição de riscos e identificações de oportunidades existentes no mercado estudado.

Em geral, uma Pesquisa de Mercado busca analisar informações sobre o mercado de atuação de uma empresa, potencial do público-alvo, a relação do produto com o consumidor e o posicionamento da concorrência.

Planejamento do MVP

O MVP, Produto Mínimo Viável, é uma versão mais simples do produto final de uma empresa, ou seja, contém o mínimo das funcionalidades que são necessárias para que o produto entre no mercado.

A construção de um MVP permite que o produto seja testado com o seu público alvo, antes do desenvolvimento do produto final. O que evita o retrabalho e gera uma economia de dinheiro, já que com a ideia validada, a Solução Digital tem mais chances de suprir as necessidades do mercado.

Dentro de um Product Discovery, é entregue o planejamento do MVP, onde, através de um estudo das necessidades do mercado e dos pontos centrais da Solução Digital, são elencadas as suas funcionalidades principais e a tecnologia mais indicada para o seu desenvolvimento.

Saiba mais sobre MVP no artigo: MVP: Entenda o que ele pode acrescentar a sua Solução Digital.

Estudo de UX

UX Design, User eXperience ou, em português, Experiência do Usuário, é um termo utilizado para falar sobre a relação do usuário com um produto e serviço. Esta relação é traçada desde o processo de aquisição e integração do produto, incluindo aspectos de marca, design, até a usabilidade e função.

No Estudo de UX, é feito toda a coleta de dados, com o usuário final, sobre o projeto, usando métodos quantitativos e qualitativos. Através da pesquisa, é possível definir a persona do produto e desenvolver o mapa de empatia, que traz um maior entendimento sobre as necessidades, comportamentos e perspectivas da persona.

Além disso, é apresentado um Workflow de como o sistema deve se apresentar e toda a Jornada do Usuário.

Wireframe

Podemos definir o Wireframe como um esqueleto, um protótipo ou uma versão bastante primitiva do visual de um projeto, sendo a aplicabilidade do estudo de UX.

Ele consiste na representação das estruturas macro de uma Solução Digital, ou seja, ele é apresentado por meio de formas geométricas e linhas que retratam como foi idealizada a divisão da interface em seções.

A sua vantagem é que ele permite que o cliente participe das das etapas do projeto. Assim, ele tem certeza que não terá surpresas desagradáveis lá na frente.

Ao elaborar um Wireframe antes de entregar o projeto finalizado, você evita transtornos que geram gastos e atrasos, além de ter a opinião do cliente antes da finalização da Solução Digital.

Até porque é muito mais fácil alterar o esboço de um produto durante o processo de planejamento, do que a sua estrutura final.

Conclusão

O Product Discovery é um processo importante para a construção de um produto que se encaixa no mercado, atende as necessidades e gera real valor para seus usuários.

O não desenvolvimento de um, pode resultar na construção de uma solução que não é desejada pelo mercado, que não atende as necessidades do usuário ou que não possui a usabilidade necessária.

Por este motivo, é preciso que cada etapa seja desenvolvida obedecendo suas especificidades e levando em consideração os estudos dirigidos em meio a todo o processo de descoberta do produto.

A dedicação de profissionais de cada área tecnológica, como desenvolvedores e designers, é primordial para que os resultados trazidos no Discovery sejam realmente confiáveis e de acordo com o que o mercado precisa.

Links para Leitura

Eduarda Terra

Especialista de Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Economia na UFJF.