Os economistas do mercado financeiro reduziram a previsão para a queda PIB de 2020, revisando a estimativa de uma redução de 5,66% para 5,62%. A projeção, que faz parte do relatório Focus, publicado pelo Banco Central, é a sexta semana seguida de melhora do indicador. Os dados foram levantados na semana passada em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras. 

Nas últimas semanas, os indicadores têm mostrado o início de uma retomada da economia brasileira. Para 2021, a expectativa do mercado financeiro de crescimento do PIB foi mantida em 3,50%. Pensando nisso, elaboramos um panorama dos últimos dias 15 dias com os principais acontecimentos dos setores que tiveram certo destaque.

Automobilístico

  • Com 163 mil emplacamentos de veículos leves registrados em julho, foi confirmada a tendência de rigorosa recuperação mensal observada desde o tombo abrupto do mercado a partir do meio de março, quando a economia foi paralisada pela pandemia de coronavírus. De acordo com o número apurado pela agência Autoinforme, houve crescimento de quase 33% nas vendas em comparação com junho, mas o resultado ainda está cerca de 30% abaixo do volume de licenciamentos observado no mesmo mês de 2019.
  • As exportações de autopeças brasileiras somaram US$ 2,46 bilhões no primeiro semestre, valor que ficou 33,7% abaixo do registrado em igual período de 2019. Por sua vez, as importações totalizaram pouco mais de US$ 4,07 bilhões, queda de 28,4% na mesma base de comparação anual. Com isso, o déficit da balança comercial de autopeças fechou em US$ 1,61 bilhão, resultado 18,4% menor que o registrado na primeira metade de 2019.
  • Duas altas substanciais e seguidas nas vendas mensais de veículos não foram suficientes para convencer a associação dos fabricantes, a Anfavea, a melhorar sua projeção, que segue sustentando previsão de forte retração de 40% nos emplacamentos este ano, para apenas 1,67 milhão de unidades vendidas. Nenhuma outra estimativa que circula no mercado é tão baixa. Para citar dois exemplos, a consultoria IHS Markit projeta queda de 30%, para 1,86 milhão de veículos leves, enquanto a Bright Consulting estima contração muito menor, de 24%, em torno de 2 milhões de unidades.
  • A indústria de caminhões está retomando aos poucos o ritmo de suas linhas de montagem: em julho, com todas as fabricantes operando, as montadoras entregaram 6,8 mil unidades, volume 22,3% maior que o registrado em junho, quando as linhas de montagem produziram 5,6 mil caminhões. Os dados foram divulgados na sexta-feira, 7, pela Anfavea, associação das fabricantes.

E-commerce

  • No primeiro semestre deste ano, foram realizadas 132,6 milhões de compras online, aumento de 73,4% em relação ao mesmo período de 2019. O faturamento do varejo digital atingiu R$ 53,4 bilhões, valor 66,1% maior na comparação anual. Os dados são de um levantamento da Neotrust, que faz parte do Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce.
  • As vendas realizadas pela internet continuam em alta. Ao comparar o mês de junho de 2020, ante o mesmo mês do ano passado, o setor dobrou com alta de 110,52%. Ao observar a métrica de faturamento, nota-se a mesma tendência positiva: 108,84%, no mesmo período. Os dados compõem o índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Movimento Compre & Confie.
  • Nada menos do que US$ 61,4 bilhões, o que equivale a algo em torno de R$ 330 bilhões no câmbio atual. Esse é o valor de mercado da companhia mais valiosa da América Latina neste momento, a plataforma online de varejo Mercado Livre. A empresa de e-commerce teve forte valorização neste ano de pandemia, com ações acumulando alta de 108,95% no índice Nasdaq.
  • Dados da Cashback World, uma das maiores comunidades de compras do mundo, revelam que o volume de transações no e-commerce na plataforma cresceu 105%, nas Américas, considerando Estados Unidos, México, Colômbia e Canadá, no comparativo do segundo trimestre de 2020 com o primeiro. Segundo a empresa, os resultados podem ser explicados pelas consequências da pandemia do coronavírus.
  • O Dia dos Pais deste ano apresentou o melhor resultado da história da data nas vendas online. Entre 25 de julho e 8 de agosto, o e-commerce brasileiro faturou R$ 3,5 bilhões, valor 41% superior ao período equivalente à data sazonal de 2019. Os dados são da Ebit|Nielsen. Foram 8,2 milhões de pedidos online nas duas semanas que antecederam o Dia dos Pais, acréscimo de 37% sobre a quantidade registrada no ano anterior. Outro dado positivo foi o aumento de 3% do tíquete médio, que neste ano foi de R$ 434.
  • O Mercado Livre divulgou na segunda-feira (10) seus resultados financeiros do segundo trimestre de 2020, finalizado em 30 de junho. O volume de vendas (GMV) na plataforma voltou a acelerar, alcançando US$ 5 bilhões, o que representa um avanço de 48,5% em dólar e 101,5% em moeda constante.

Farmacêutico

  • As 26 redes afiliadas à Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) movimentaram R$ 27,45 bilhões no primeiro semestre de 2020, aumento de 7,74% em relação ao mesmo período do ano passado. No entanto, o crescimento é inferior aos +9,78% registrados entre janeiro e junho de 2019. No período, as vendas gerais de medicamentos totalizaram R$ 18,87 bilhões, incremento de 9,08%, e as categorias que puxaram o resultado foram os medicamentos isentos de prescrição médica (MIPs) e os genéricos.

Financeiro

  • Com 20 milhões de usuários no Brasil, a 99, empresa de mobilidade, lança a carteira digital “99Pay”. O serviço está disponível, em formato de teste, nas cidades de Curitiba (PR), São José dos Campos (SP), Campinas (SP) e Uberlândia (MG). A expansão no país deve acontecer gradualmente em três meses.

Logística

  • A plataforma de encomendas de refeições por aplicativo iFood recebeu aval da Agência Nacional Aviação Civil (Anac) para voos experimentais com drones, que serão usados num modelo híbrido com outros modais para reduzir o tempo das entregas. As autorizações foram concedidas para a Speedbird e a AL Drones, que vão operar o serviço com drones. A previsão é de que os primeiros voos experimentais sejam realizados em outubro. Mas os drones não farão entregas nas casas dos clientes. Pelo menos ainda. Por ora, a tecnologia fará a primeira parte da rota das entregas, que será finalizada por um entregador com moto, bike ou patinete.

Shopping Centers

  • No mês de julho, a movimentação nos shopping centers cresceu 74%, com destaque para os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, que representaram o maior volume no fluxo de visitantes. Os dados são do Sem Parar, empresa de pagamentos automáticos presente em 66% dos estabelecimentos do Brasil.

Varejo Geral

  • Segundo dados do IBGE, as vendas do varejo cresceram 8% em junho ante o mês anterior, após a alta recorde de 14,4% em maio. Mesmo com as duas altas seguidas, o setor acabou fechando o primeiro semestre do ano com queda de 3,1% na comparação com o mesmo período de 2019, por conta das medidas de isolamento social para conter o coronavírus. O resultado semestral é o menor desde o segundo semestre de 2016, quando o recuo foi de 5,6%.
  • A Máquina de Vendas, controladora da Ricardo Eletro, entrou com pedido de recuperação judicial na sexta-feira (7/8). Dona também das marcas City Lar, EletroShopping, Insinuante e Salfer, a empresa acumula em torno de R$ 4 bilhões em dívidas.
  • O Magazine Luiza é comumente chamado de “Amazon Brasileira”. Não parece exagero. Além da forte atuação no varejo online e físico, a empresa é um verdadeiro caso de sucesso em transformação digital. Mais do que isso, também se mostra eficiente na estratégia de diversificar suas áreas de atuação. A guinada mais recente é a estreia no segmento de publicidade online. Para isso, o Magalu acaba de anunciar a compra das empresas Unilogic Media Group e Canal Geek Internet (Canaltech) e da plataforma Inloco Media. 
  • Após comprar a Netshoes em meados de 2019 e a Estante Virtual no início deste ano, o Magazine Luiza acaba de definir uma nova aquisição. A rede varejista comprou a startup Hubsales, cuja plataforma permite aos fabricantes efetuarem vendas diretamente aos consumidores.

Varejo Supermercadista

  • O primeiro semestre foi positivo para o setor supermercadista, que registrou crescimento real (deflacionado pelo IPCA/IBGE) de 3,47%, de janeiro a junho, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), apurado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade. O resultado foi o melhor para o semestre dos últimos 8 anos.
  • O PicPay firmou uma parceria com a APAS (Associação Paulista de Supermercados) para oferecer aos consumidores a possibilidade de pagar suas compras utilizando apenas o celular, com isso os consumidores se beneficiam das promoções que envolvem o dinheiro de volta (cashback) criadas especificamente para usuários do PicPay.
  • A plataforma de pagamento PicPay acaba de fechar parceria com o GPA e passa a oferecer programa de cashback para os clientes das lojas Assaí. Desta forma o consumidor recebe 10% do que foi pago nas compras caso o pagamento seja feito pelo aplicativo da marca. O limite é de R$15,00 de resgate a cada mês por pessoa, porém, sem prazo para a utilização do valor devolvido.

Links para leitura

Pedro de Vito

Especialista em Inteligência de Mercado na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Administração na UFJF, apaixonada por pessoas, inovação e tecnologia.