De acordo com as projeções da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a economia brasileira deve crescer 2,5% em 2020, contra uma alta de 1,2% do PIB em 2019. Além disso, entre os anos de 2010 e 2019, o Produto Interno Bruto (PIB), cresceu a um ritmo de 1,39% ao ano.

Diante disso, é possível perceber um cenário positivo no mercado brasileiro. Contudo, ainda há sinais de alerta em alguns segmentos. Abaixo está um panorama feito dos últimos dias 15 dias com os principais acontecimentos dos setores que se destacaram.

Geral

  • De acordo com Dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), o Brasil criou 644.079 empregos com carteira assinada em 2019. Esse foi o segundo ano seguido de geração de vagas formais e, também, o melhor resultado desde 2013 – quando foram criados 1,117 milhão de empregos com carteira assinada. Deste modo, é o maior número de vagas formais abertas em seis anos. 
  • A dívida pública federal do Brasil subiu 9,5% em 2019 e atingiu R$ 4,248 trilhões, segundo dados da Secretaria do Tesouro Nacional. É o maior nível da série histórica, que começou há 16 anos. O montante total da dívida era de R$ 3,877 trilhões ao final de 2018. No ano passado, o volume saltou R$ 371 bilhões, dos quais cerca de R$ 330 bilhões se devem a despesas com juros da dívida pública enquanto R$ 42 bilhões se referem à emissão líquida de títulos públicos, acima do volume de resgates. 
  • Uma pesquisa da Edelman apontou que 70% dos brasileiros acreditam em melhora da sua condição econômica nos próximos cinco anos. Dentre as economias desenvolvidas, o cenário é de menos empolgação. 
  • O investimento estrangeiro direto no Brasil cresceu 26% em 2019, segundo dados da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento. Entre os principais fatores para a expansão está a onda de privatizações ocorridas a partir do meio do ano, com a venda da Transportadora Associada de Gás (TAG) pela Petrobras para a francesa Engie e para o fundo canadense Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ) por cerca de US$ 8,7 bilhões. 

Automobilístico

  • Fábrica da Renault no Brasil é reconhecida por manufatura avançada e conectada. A empresa recebeu o reconhecimento Farol da 4ª Revolução Industrial Avançada (Advanced 4th Industrial Revolution [4IR] Lighthouse) do Fórum Econômico Mundial pelas inovações relativas à indústria 4.0 adotadas no complexo industrial Ayrton Senna. 
  • O faturamento da indústria de autopeças cresceu 6,6% no acumulado de janeiro a novembro de 2019 na comparação com iguais meses de 2018. A alta foi puxada pelas vendas às montadoras, que subiram 9,8% pela mesma comparação interanual. Os números foram divulgados pelo Sindipeças, entidade que reúne fabricantes do setor. As entregas às montadoras responderam por mais de 65% do faturamento das fabricantes de autopeças.

E-commerce

  • O Magazine Luiza adquiriu a Estante Virtual, site que comercializa livros novos e usados, por R$ 31 milhões. A compra foi realizada em um leilão na última quinta-feira (30). O e-commerce, que soma R$ 90 milhões em vendas por ano, havia sido avaliado pela Livraria Cultura em R$ 44 milhões. 

Energia Solar

  • De acordo com apuração realizada pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o setor de energia solar vai gerar mais de 120 mil empregos no Brasil em 2020
  • Preço dos painéis solares cai 90% em nove anos. De acordo com dados de mercado, a redução de preço tornou-se um dos fatores mais importantes que impulsionaram a expansão mundial da energia solar. A inovação tecnológica está por trás da redução de preço, aumentando a competitividade dos painéis. 
  • A Escola Municipal Pompeu Sarmento, localizada em Maceió, Alagoas, no bairro de Barro Duro, será a primeira unidade de ensino da cidade a ser abastecida por energia solar. A ordem de serviço para o projeto piloto de implantação de energia solar na unidade de ensino foi assinada no início de janeiro deste ano pelo prefeito Rui Palmeira (PSDB) e a secretária municipal de Educação, Ana Dayse Dorea.

Farmacêutico

  • O mercado farmacêutico cresceu 7,6% em 2019, na comparação anual, e faturou R$ 120,98 bilhões, segundo dados da IQVA, analisados pela Febrafar. Em 2018, o faturamento das farmácias totalizou R$ 112,4 bilhões. 

Fidelidade

  • O Banco BV e a Dotz, programa de fidelidade voltado para o setor do varejo, firmaram um acordo para criar um novo cartão de crédito em conjunto. Com a novidade, todas as compras poderão ser revertidas em Dotz. 
  • O Programa de Estratégias Competitivas (PEC), programa de fidelidade das redes de farmácias afiliadas à Febrafar, movimentou R$ 3,6 bilhões no ano passado, um aumento de 23,41% em relação a 2018. A iniciativa conta com mais de 23 milhões de CPFs cadastrados, sendo que foram cerca de 5,6 milhões de novos cadastros em 2019. 
  • De acordo com a pesquisa Varejo Alimentar, feita pela CVA Solutions, o número de pessoas que utilizaram para fazer compras, entre 2017 e 2019, saiu de 9,9% para 20,1%, respectivamente. Os apps de supermercado são usados por 78,2% dos entrevistados, com 54,4% deles acessando a plataforma de sua rede preferida. 

Financeiro

  • O governo federal autorizou o pagamento por meio de fintechs de todos os impostos recolhidos pela Receita Federal, tais como IOF, PIS/Cofins, Imposto de Renda e guias de recolhimento da Previdência Social. A medida é vista por analistas como um primeiro passo para a abertura do processamento de pagamentos, já que anteriormente apenas os grandes bancos tinham permissão para recolher, contabilizar e enviar recursos para a Receita. A medida, porém, se restringe a fintechs que têm conta de liquidação no Banco Central: Nubank, Stone, Mercado Pago, Superdigital, BPP e PagSeguro. 
  • As fintechs passarão a disponibilizar saque de dinheiro em supermercados, padarias e lojas. Os clientes de bancos digitais poderão realizar a operação por meio de um aplicativo no celular, com QR Code, sem a utilização de cartões. 
  • O MercadoPago, meio de pagamento do Mercado Livre, vai lançar até o começo de fevereiro uma ferramenta para pagamento de impostos por meio de sua carteira digital. A lista de impostos a ser paga pela ferramenta incluirá impostos estaduais, federais e municipais. A ferramenta fará parte de outras opções da carteira, que já incluem recarga de bilhetes de ônibus e metrô ou recarga de celular, além de pagamentos com QR Code. Nas próximas semanas, o MercadoPago também permitirá que usuários façam saques com QR Code em caixas eletrônicos, através do celular.
  • PicPay lança conta digital para empresas e prevê movimentar R$31 bilhões em 2020. A empresa vai começar a abrir contas de pagamentos para pequenos negócios ainda no primeiro trimestre e multiplicar a oferta de produtos financeiros ainda neste ano, em meio aos esforços para se estabelecer como grande marketplace financeiro no Brasil. 

Food Service

  • A receita nominal dos principais operadores de foodservice, associados do IFB (Instituto de Foodservice Brasil), subiu 5,1% em dezembro de 2019 na comparação com o mesmo período de 2018. No conceito mesmas lojas (lojas existentes há mais de 13 meses), o setor teve crescimento de 3,2% na comparação anual.
  • O aplicativo de entrega de comida iFood firmou um acordo de compra de uma empresa de inteligência artificial e big data de Minas Gerais, Hekima. A informação foi divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo”. A aquisição da empresa mineira faz parte da estratégia de tornar o iFood líder de inteligência artificial na América Latina. O plano é que o aplicativo compreenda as características e preferências de cada cliente.
  • A Coca-Cola Company apresentou lucro líquido de US$ 2,042 bilhões no quarto trimestre de 2019, alta de 135% em relação ao resultado de igual período de 2018, quando foi registrado lucro de US$ 870 bilhões. O valor é equivalente a US$ 0,47 por ação, aumento de 134% na comparação anual. A leitura veio acima da previsão de analistas consultados pela FactSet, de US$ 0,44.

Mobilidade Urbana

  • A Grow, startup gerada pela fusão da Yellow e da Green, anunciou uma reestruturação de suas operações no Brasil. A startup de mobilidade retirou as bicicletas de circulação de todas as cidades em que operava e encerrou as operações de patinetes elétricas em 14 cidades. A empresa segue operando patinetes apenas em São Paulo (SP), no Rio de Janeiro (RJ) e em Curitiba (PR). 
  • A Uber recebeu autorização da Prefeitura de São Paulo para começar a oferecer aluguel de patinetes elétricos na cidade. Apesar da decisão, publicada no Diário Oficial, ainda não há uma data específica para o início da operação. A Uber já oferece o serviço na cidade de Santos (SP) desde dezembro. Segundo o site “Veja São Paulo”, a empresa afirma que os “preparativos para o lançamento estão em estágio avançado e, em breve, os usuários poderão visualizar os patinetes na tela do celular”. A autorização concedida à Uber acontece pouco tempo depois que a Grow deixou de oferecer patinetes elétricas em 14 cidades brasileiras. 
  • A Uber lançou uma nova modalidade de serviço no Brasil: as viagens com “tuk-tuk”, um veículo que é muito comum na Ásia, possui três rodas e tem espaço para duas pessoas, além do motorista. 

Shopping Centers

  • BrMalls e Multiplan vão investir R$ 69 milhões na Delivery Center, empresa de entregas que utiliza hubs de distribuição a partir de shoppings. O aporte será aplicado ao longo deste ano e possibilitará que a Delivery Center aprimore a tecnologia de integração de estoques e de conexões a marketplaces e acelere a expansão de suas unidades para novas cidades. A brMalls e a Multiplan integram o grupo de sócios da empresa desde 2018 e 2019, respectivamente. Atualmente, a Delivery Center conta com 24 centrais de entregas distribuídas por São Paulo (11), Rio de Janeiro (10) e Porto Alegre (3). 

Supermercadista

  • A Pesquisa de Confiança dos Supermercados do estado de São Paulo (PCS/APAS) de janeiro aponta que os empresários do setor estão cautelosos sobre os resultados de vendas, taxas de juros, inflação e empregos. No geral, a neutralidade subiu de 28% em dezembro para 50% em janeiro, sendo a maior queda no otimismo (de 52% para 38%). Para o economista da APAS, Thiago Berka, o resultado é esperado no começo do ano, quando muitos empresários revisam seus números no pós-Natal, ainda mais quando se registram seis meses seguidos de aumento na expectativa do setor. 
  • O número de empregos no setor supermercadista atingiu o recorde dos últimos 10 anos, chegando a 6.685 vagas em novembro de 2019. Isto significa aumento de 11% em relação ao mesmo mês de 2018, além de representar mais de 20% das novas vagas criadas no varejo alimentar brasileiro no período (30.536). 

Tecnologia

  • A Alphabet, empresa mãe do Google, se tornou a 4ª empresa a atingir valor de mercado de US$ 1 trilhão nos Estados Unidos nesta quinta-feira (16). As ações da companhia subiram 0,8%.
  • De acordo com levantamento da consultoria de inovação Distrito publicado no Estadão, as empresas de tecnologia do país receberam US$ 2,7 bilhões em aportes em 2019. Trata-se de um crescimento de 80% na comparação com 2018, quando os investimentos totalizaram US$ 1,5 bilhão. Ainda segundo o estudo, 260 rodadas de investimento foram realizadas no ano – crescimento de 8,3% na comparação com 2018. Nesse quesito, o recorde ainda é de 2017, quando aconteceram 263 investimentos no país, levantando US$ 905 milhões. 

Turismo

  • O Brasil registrou um crescimento de 2,6% no índice de atividade Turística entre janeiro e novembro de 2019, na comparação com o mesmo período de 2018. O número foi impulsionado, principalmente, pelos setores de locação de automóveis, de hotéis e de serviços de catering, bufê e outros negócios de comida preparada. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE. 
  • De acordo com o ranking de 2019 do Fórum Econômico Mundial, o Brasil é o segundo país do mundo com mais atratividade de recursos naturais. No entanto, no mesmo relatório, o país cai para o 32º lugar quando a questão é competitividade no turismo. Segundo pesquisa do Instituto Semeia, ONG que fomenta parcerias para melhorar o acesso aos parques, 20% dos parques estaduais e nacionais brasileiros não recebem nenhuma visita. Entre os gestores dos parques que estão abertos à visitação, somente 7% consideram a estrutura suficiente para receber turistas – e 60% consideram não ter recursos necessários para conduzir a gestão dos parques.

Varejo Geral

  • A Boa Vista, empresa de análise de crédito, projeta um crescimento de 3% para as vendas de todo o varejo brasileiro em 2020, resultado que, se confirmado, será bem superior ao avanço de 1,7% registrado em 2019. Segundo a análise, em razão dos juros baixos e da maior concessão de empréstimos, devem ganhar fôlego especial os segmentos varejistas mais atrelados à disponibilidade de crédito, a exemplo do comércio de eletroeletrônicos, eletrodomésticos, móveis e vestuário.
  • O Carrefour, em parceria com o banco BNP Paribas, abrirá um centro de inovação no Brasil. O intuito do projeto é abrigar startups para o desenvolvimento de soluções e tecnologias que fortaleçam o negócio e acelerem o processo de transformação digital. Com sede em São Paulo, o “La Fabrique” terá 1 mil m² e também contará com espaços para a empresa de soluções de pagamentos Edenred e o grupo de sistemas de transações financeiras Ingenico.

Links para Leitura

Pedro de Vito

Especialista em Inteligência de Mercado na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Administração na UFJF, apaixonada por pessoas, inovação e tecnologia.