Com a alta do dólar em razão da chegada do Coronavírus ao Brasil e a incerteza quanto ao impacto que o crescimento da doença pode causar não só no país mas também no mundo, o mercado fica cada vez mais incerto quanto a possível recuperação ou a chegada de um cenário ainda mais complicado.

O Coronavírus já causou 4.000 mortes e poderá levar a economia global a uma nova recessão e a um recuo na globalização. Junto com o número de infectados e mortos, o impacto econômico é redimensionado a cada novo sinal de que esta crise é mais profunda do que se imaginava. A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento já prevê redução de 5% a 15% nos investimentos estrangeiros diretos no mundo em 2020.

Paulo Guedes, ministro da economia, ainda disse que Coronavírus pode causar uma queda de até 1% no PIB nacional. Diante disso, abaixo está um panorama feito dos últimos dias 15 dias com os principais acontecimentos dos setores que se destacaram.

Automobilístico

  • A venda de veículos usados no primeiro bimestre teve 1,73 milhão de unidades, volume 2,1% menor que o registrado em igual período de 2019. O número inclui veículos leves e pesados. Os dados foram divulgados pela Fenabrave, entidade que reúne as associações de concessionários. A cada veículo novo emplacado no período, foram vendidos 3,3 usados.
  • A produção de veículos diminuiu no primeiro bimestre impactada pelo menor número de dias úteis devido ao feriado de carnaval no fim de fevereiro. Em dois meses, foram montadas 395,9 mil unidades, entre leves e pesados, de acordo com o balanço da indústria divulgado na sexta-feira, 6, pela Anfavea, a associação das fabricantes.
  • A venda de motos em fevereiro somou 79,8 mil unidades, anotando queda de 13% na comparação com janeiro, algo esperado em razão do carnaval. No acumulado do ano foram licenciadas 171,5 mil unidades, 2% a menos que no primeiro bimestre do ano passado.
  • A produção de motos em fevereiro atingiu 94,4 mil unidades, volume apenas 5,8% mais baixo que o de janeiro, apesar do carnaval e da menor quantidade de dias úteis (18, ante 22). O acumulado do primeiro bimestre teve 194,7 mil motocicletas fabricadas, 5,1% a mais que no mesmo período do ano passado. 
  • A produção de veículos caiu 20,8% em fevereiro no Brasil, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O setor fabricou 204.197 automóveis no segundo mês do ano, abaixo das 257.939 unidades registradas no mesmo período de 2019.

E-commerce

  • As vendas por comércio eletrônico tiveram alta de 1,85% em janeiro de 2020 se comparado com dezembro de 2019. O faturamento registrou alta de 1,87%, segundo dados do índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico em parceria com o Movimento Compre & Confie. A variação de vendas em janeiro de 2020, em relação ao mesmo período do ano passado, foi de 34,16%. No acumulado dos últimos 12 meses, o índice das vendas online foi de 49,02%. Na composição regional do e-commerce, todas tiveram resultados positivos em janeiro de 2020, frente a dezembro de 2019.
  • O e-commerce brasileiro deve ultrapassar pela primeira vez na história a casa dos R$ 100 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). A estimativa é que as vendas online irão gerar um volume financeiro de R$ 106 bilhões. A cifra representa um crescimento de 18% sobre o ano anterior.
  • Empresa lança plataforma para venda online de produtos do Ceasa. Criado pela CV MarketPlace, o site Feira do Ceasa , acaba de ser lançado oficialmente após três meses de testes. A plataforma online comercializa 130 variedades de FLVs e alimentos processados fornecidos pelo Ceagesp.

Farmacêutico

  • O reajuste de preços nos medicamentos para 2020 já tem uma previsão. A secretaria executiva da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) publicou, no Diário Oficial da União, que o Fator de Ajuste de Preços Relativos Entre Setores (Fator Y) foi fixado em 1,20%. 

Financeiro

Food Service

  • A Heineken vai destinar R$ 865 milhões para ampliar em 75% a capacidade produtiva de sua fábrica em Ponta Grossa (PR). Com vendas aquecidas no Brasil, a cervejaria decidiu antecipar em um ano esse investimento. A principal produção será das marcas Heineken e Amstel, além da nova cerveja sem álcool Heineken 0, que chega às gôndolas a partir de abril. 
  • Em um negócio avaliado internamente como “altamente estratégico”, a Pepsico está fechando a aquisição da fabricante de bebidas energéticas Rockstar Energy, em uma transação de US$ 3,85 bilhões. A aquisição significa um grande passo em direção à diminuição da dependência das bebidas açucaradas e gasosas no portfólio.

Imobiliário

  • Venda de imóveis avança 9,7%. As vendas de imóveis residenciais no Brasil cresceram 9,7% entre 2018 e 2019, o melhor resultado para os últimos quatro anos. Segundo um levantamento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em parceria com o Senai, o número de unidades comercializadas subiu de 118.893 para 130.434 no período, e deve crescer em torno de 10% neste ano. O estudo também indica que os lançamentos registraram alta de 15,4% em todo o país no ano passado. O desempenho do setor foi melhor na região Sudeste, onde houve aumento de 19,1% nos lançamentos e crescimento de 19,3% nas vendas de imóveis.
  • A OLX Brasil, empresa de classificados online, anunciou, na terça-feira, dia 3, um acordo para comprar 100% do grupo de serviços imobiliários ZAP por R$ 2,9 bilhões. “Com o Grupo ZAP, a OLX Brasil poderá oferecer a seus usuários mais de 12 milhões de anúncios de mais de 40 mil imobiliárias e de milhares de vendedores privados”, diz a companhia.

Logística

  • A Rappi passará a aceitar pagamentos via cartão de débito para alcançar novos consumidores. A transação será feita via aplicativo, portanto, sem a necessidade de maquininha. Neste primeiro momento, será possível pagar com cartões de débito do Banco do Brasil e do Bradesco. Com o tempo, a plataforma deve incluir novas bandeiras.
  • A Rappi divulgou que vai inaugurar neste mês um serviço destinado aos shoppings. Denominado de “Rappi Mall”, a plataforma vai funcionar como um “shopping center” no app, com entregas feitas em até uma hora. Há mais de 50 parceiros confirmados, como Fast Shop, Decathlon e Saraiva.
  • Os clientes dos Correios têm agora a opção de entrega de encomenda no vizinho. A funcionalidade foi lançada na primeira semana de março e permite ao remetente indicar um endereço alternativo, próximo ao do destinatário, para a entrega do pacote, sem custo adicional.

Shopping Centers

  • Com o avanço da pandemia de coronavírus no país, as redes de shopping centers vivem um momento de incerteza sobre como vai ficar o movimento nos centros de compras nas próximas semanas. O fluxo de visitantes começa a ser afetado, de acordo com representantes das varejistas, o que pode colocar em xeque a recuperação das vendas registrada nos meses anteriores e até elevar a inadimplência de lojistas que levou anos para ser normalizada após a crise.

Telefonia

Varejo Geral

  • A publicidade nas Redes Sociais como Facebook, LinkedIn e Twitter, deve continuar crescendo em 2020. Segundo a pesquisa Tendências de publicidade social no varejo: uma perspectiva de 2020, realizada pela Smartly.io, em parceria com a WBR Insights, 52% dos varejistas vão aumentar investimento em publicidade nas redes sociais em 2020 em relação a 2019. O estudo, publicado em fevereiro deste ano, explora quanto os profissionais de marketing estão gastando nestas mídias e quais desafios exigirão novas soluções para este ano.
  • A bandeira Minuto Pão de Açúcar ganha sua primeira loja 24 horas na Avenida Paulista, na cidade de São Paulo, com foco na tecnologia Scan&go, solução de pagamento em que o consumidor usa o celular para escanear os códigos de barra dos produtos e efetuar o pagamento.
  • A Amazon vai vender para outras redes varejistas a tecnologia adotada em suas lojas sem checkout, conhecida por combinar câmeras e sensores nas prateleiras capazes de registrar de forma autônoma os itens adquiridos pelo shopper para, na sequência, realizar a cobrança digital.
  • Quase 30 mil aprendizes e estagiários foram contratados pelo setor varejista em 2019, de acordo com levantamento inédito realizado pelo CIEE. Ao menos 95% desses jovens tem idade entre 14 e 24 anos. Com isso, o varejo contribuiu na redução da desocupação nessa faixa etária, que representa 63% da taxa de desempregados, segundo o IBGE.

Varejo Supermercadista

  • No primeiro mês de 2020, o setor supermercadista registrou 5,11% de alta real nas vendas, já descontada a inflação do período. O resultado, apurado pelo Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), é o melhor para janeiro desde 2011.

Links para Leitura

Pedro de Vito

Especialista em Inteligência de Mercado na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Administração na UFJF, apaixonada por pessoas, inovação e tecnologia.