De acordo com as projeções da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a economia brasileira deve crescer 2,5% em 2020, contra uma alta de 1,2% do PIB em 2019. Além disso, entre os anos de 2010 e 2019, o Produto Interno Bruto (PIB), cresceu a um ritmo de 1,39% ao ano.

Diante disso, é possível perceber um cenário positivo no mercado brasileiro. Contudo, ainda há sinais de alerta em alguns segmentos. Abaixo está um panorama feito dos últimos dias 15 dias com os principais acontecimentos dos setores que se destacaram.

Automobilístico

  • Em 2019 o setor automobilístico registrou o melhor resultado na venda de veículos no Brasil em cinco anos. No total, houve um crescimento de 8,65% e 2,7 milhões de carros emplacados. Segundo economista, a queda dos juros e da inadimplência estimulou a concessão de crédito para comprar carro novo.
  • Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), divulgou sua primeira previsão do ano para o setor. A entidade antevê que as vendas de veículos no país vão crescer 9,4%, chegando a 3,05 milhão de unidades emplacadas até o fim de 2020.
  • As fábricas brasileiras de veículos encerraram 2019 com 2,94 milhões de unidades produzidas. A alta sobre o ano anterior é modesta, de 2,5%, mas ainda assim este é o melhor patamar desde 2014, segundo a Anfavea, entidade que representa as montadoras instaladas no Brasil.
  • O ano começa promissor para os fabricantes de veículos, com a expectativa de que sejam produzidos 3,16 milhões de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil em 2020. O volume corresponde a aumento de 7,3% na comparação com o resultado de 2019. A expectativa foi divulgada pela Anfavea, associação que representa as montadoras instaladas no Brasil.
  • Os dois segmentos de veículos leves tiveram desempenhos percentuais bastante parecidos em 2019. Foram vendidos 2,26 milhões de automóveis, em alta de 7,6% sobre 2018. Para 2020 a Fenabrave projeta crescimento de 9% para a fatia de maior volume do mercado (2,46 milhões).
  • O Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) prevê um crescimento de 3% do setor, no ano de 2020, chegando a R$148,5 bilhões.
  • As vendas de veículos usados cresceram 2,3% em 2019 na comparação com o ano anterior. Dados da Fenabrave apontam que o mercado brasileiro movimentou 11,4 milhões de unidades, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Calçados

  • As indústrias brasileiras de calçados esperam um crescimento de 2% a 2,5% em volume de produção neste ano, mesmo ritmo de 2019, informou a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados).

Construção Civil

  • O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) fechou 2019 com alta de 4,03%, ficando 0,38 ponto percentual abaixo da taxa de 2018, que havia sido de 4,41%. Calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse indicador mede o custo nacional para o setor habitacional por metro quadrado.

E-commerce

  • De acordo com os dados da Compre&Confie, empresa especializada em comércio online, o varejo online alcançou mais de R$ 14 bilhões em vendas entre 15 de novembro de 24 de dezembro, o que representa um crescimento de 29,9% em comparação a 2018.
  • O e-commerce no Estado de São Paulo deve terminar 2019 com faturamento real de R$ 20,7 bilhões, o que representa um crescimento de 10% em relação ao ano anterior. Para 2020, a expectativa é que o setor cresça 12% e fature R$ 23,1 bilhões.
  • 41% dos e-commerces brasileiros que conhecem a LGPD ainda não se adequaram, diz pesquisa.

Energia Elétrica

  • Os bancos Indusval e Itaú posicionam-se para entrar no setor de energia elétrica. Enquanto o 1º teve autorização do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para uma aquisição crucial publicada no Diário Oficial da União, o 2º busca estabelecer uma estrutura para operar neste mercado.

Energia Solar

  • Jair Bolsonaro, com o apoio dos líderes do Congresso Nacional, em favor da energia solar no País, com a criação de um Projeto de Lei, reflete uma união surpreendente entre os poderes Executivo e Legislativo pelo desenvolvimento da fonte solar fotovoltaica no Brasil. Jair Bolsonaro disse que “o presidente da Câmara colocará em votação Projeto de Lei, em regime de urgência, proibindo a taxação da energia gerada por radiação solar. O mesmo fará o presidente do Senado. Caso encerrado.”
  • Segundo os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), foram 110.997 sistemas instalados no ano em todo o país, entre mini e microgeradores. Nem mesmo as sombras das possíveis alterações sobre as regras do setor foram capazes de bloquear a força da energia solar distribuída no Brasil, que cresceu mais de 212% em 2019.

Farmacêutico

  • Falência de fabricantes anuncia crise no setor dos antibióticos. Diferentemente do remédios para problemas crônicos como diabetes ou artrite reumatoide, que têm vendas enormes, a maioria dos antibióticos é prescrita por apenas alguns dias ou semanas, e muitos hospitais não se dispõem a pagar um preço alto pelos medicamentos novos. Além disso, muitas das drogas criadas para combater infecções estão ficando ineficazes contra bactérias e fungos.
  • Para 2020, a projeção é alcançar a maior taxa de expansão dos últimos sete anos, de acordo com a Associação Brasileira Redes Farmácias Drogaria (Abrafarma), associação do setor, que representa 24 grandes cadeias, com 8 mil lojas.
  • Segundo dados do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma), entre 2014 e 2017, as vendas expandiram 44,89% e este ano a expectativa é que o desempenho mantenha-se em alta, já que até setembro de 2019 o faturamento chegou a R$ 110,08 bilhões.

Financeiro

  • O Nubank divulgou do dia 6 de janeiro a primeira compra de sua história. A fintech adquiriu a consultoria Plataformatec com um objetivo em mente: incorporar seus funcionários ao negócio. “Em um cenário nacional de falta de mão de obra qualificada para áreas de tecnologia, a chegada desses profissionais é bastante estratégica para fortalecer o caminho de expansão do Nubank”, afirmou a empresa em comunicado sobre a aquisição.
  • O Cadastro Positivo, novo banco de dados que reúne o histórico de pagamento dos consumidores, entra em operação neste mês de janeiro. A partir dessa data, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) disponibilizará ao mercado o acesso ao banco de dados. Isso significa que instituições financeiras, comerciantes e demais empresas que trabalham com concessão de crédito poderão consultar o sistema do Cadastro Positivo para subsidiar a análise de seus clientes.
  • A Cielo anunciou uma parceria com a startup Bitfy, criadora de uma carteira para pagamentos com bitcoins via QR Code. O acordo permite o pagamento em mais de 1,5 milhão de terminais da Cielo como se fosse com um cartão de crédito à vista.
  • A fintech brasileira Ebanx lançou uma conta digital de pagamentos, chamada de “Ebanx Go”. A conta digital contará com um cartão físico e virtual da bandeira Visa e terá cashback de 5% para compras realizadas em 18 e-commerces, incluindo AliExpress, Gearbest e Spotify.

Food Service

  • De acordo com a Reuters, a Rappi usará os dados presentes no aplicativo para ganhar destaque entre os usuários da América Latina. Em entrevista, o cofundador da empresa, Sebastian Mejia, disse: “Vamos ajudá-lo a entender suas oportunidades perdidas”, como melhor momento de oferecer um produto, serviço ou promoção. Os dados servirão para entender “Por que quarta-feira talvez não seja o melhor dia para você, ou por que o almoço é melhor que o jantar”.
  • iFood e Givex apresentam inovações e novidades para o varejo brasileiro na convenção da National Retail Federation (NRF), em Nova York. Paula Rabelo, Head do iFood Empresa, apresentou as soluções criadas para atender ao público: o iFood Office, uma Solução que elimina os processos de reembolso de refeições das empresas, e o iFood Card, um gift card que pode ser utilizado para premiar colaboradores ou mesmo parceiros de negócio.

Seguros

  • O mercado segurador fechou o ano passado com um crescimento entre 11% e 12,5%, segundo estimativa da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg).

Supermercadista

Turismo

  • A Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav Nacional) calcula alta entre 8% e 14% no movimento em anos com muitos feriados, que é o caso do ano de 2020.

Varejo Geral

Links para Leitura

Mariana Vidal

Especialista de Inteligência de Mercado, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Economia na UFJF.