De acordo com levantamento da Confederação Nacional do Comércio, a crise provocada pela pandemia da Covid-19 levou ao fechamento de 135 mil estabelecimentos comerciais no país no segundo trimestre deste ano. O volume equivale a 10% do número de estabelecimentos comerciais com vínculos empregatícios existentes antes da pandemia.

Porém, pela sétima semana consecutiva, a mediana das projeções do mercado para a variação do PIB brasileiro em 2020 voltou a subir. Segundo dados publicados no Relatório Focus, do Banco Central, a estimativa passou de -5,62% para -5,52%.

Para 2021, o ponto-médio das expectativas ficou em 3,50% pela 13ª semana consecutiva. Quanto à inflação oficial de 2020, a mediana das projeções dos economistas do mercado subiu de 1,63% para 1,67%. Para 2021, a expectativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo manteve-se em 3,00%.

Pensando nisso, elaboramos um panorama dos últimos dias 15 dias com os principais acontecimentos dos setores que tiveram certo destaque.

Geral

  • O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) aumentou 1,4 ponto e atingiu 80,2 pontos em agosto, segundo estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV). O patamar é o mesmo de março, quando a economia começou a sentir os efeitos da Covid-19. Segundo análise da FGV, a alta é “tímida” e representa uma desaceleração no ritmo da recuperação iniciada em maio. O índice que mede o sentimento dos consumidores com relação ao futuro da economia ficou relativamente estável, ao variar 0,2 ponto, para 111,7 pontos. Já o otimismo com as finanças familiares cresceu 1,4 ponto e atingiu 91,1 pontos.
  • Desde o início da pandemia, mais de 78% dos consumidores brasileiros eliminaram ou diminuíram o uso de dinheiro, segundo um estudo da Visa, empresa de pagamentos digitais. Os dados apontam que 73% dos entrevistados mudaram seu método de pagamento para reduzir o contato, 56% compram online frequentemente e 43% usam pagamentos por aproximação. Em relação às pequenas e médias empresas brasileiras, 84% tentaram uma nova estratégia para manter o negócio, 64% querem atrair novos consumidores e mais da metade perdeu receita na pandemia. Dentre as estratégias adotadas estão: migração para o online (50%), publicidade direcionada nas redes sociais (50%), entrega residencial (33%) e aceitação de pagamento por aproximação (30%).
  • O Indicador Movimento do Comércio, de acordo com dados apurados pela Boa Vista, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, avançou 4,5% em julho na comparação mensal dessazonalizada. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador apresenta retração de 3,2%. No acumulado do ano houve queda de 7,5% contra o mesmo período do ano passado. Já em relação ao mesmo mês de 2019, o varejo recuou 1,3%. Após o indicador registrar queda acentuada em abril, os resultados do trimestre entre maio e julho recuperam parte dessa perda e somam três avanços mensais consecutivos.

Automobilístico

  • De acordo com a Anfavea, as vendas de veículos no País totalizaram 983,3 mil unidades de janeiro a julho, em queda de 36,6% sobre o mesmo período de 2019. A instituição manteve sua projeção de retração de 40% em 2020, com mercado total de 1,67 milhão de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. As exportações acumuladas em sete meses somaram apenas 148,7 mil veículos, em retração de 43,7% ante o mesmo período de 2019. A Anfavea estima que até o fim do ano sejam exportadas 200 mil unidades, o que significará contração de 52%.
  • As exportações de autopeças brasileiras somaram US$ 2,46 bilhões no primeiro semestre, valor 33,7% abaixo do registrado em igual período de 2019. Por sua vez, as importações totalizaram US$ 4,07 bilhões, queda de 28,4% na mesma base de comparação anual. Com isso, o déficit comercial de autopeças foi de cerca de US$ 1,61 bilhão, 18,4% menor que o registrado na primeira metade de 2019.

E-commerce

  • Em 2020, o setor de comércio eletrônico alcançou a marca de 1,3 milhão de lojas no Brasil, com ritmo de crescimento de 40,7% ao ano. Os dados são da 6ª edição da pesquisa “Perfil do E-Commerce Brasileiro”, realizada pelo PayPal, especializado em pagamentos digitais, em parceria com a plataforma de dados BigDataCorp. Com a pandemia e a necessidade de digitalização das empresas, os e-commerces de pequeno porte, com faturamento de até R$ 250 mil por ano, passaram a representar 48,06% das lojas online – participação que, em 2019, era de 26,93%. No país, 55,68% das plataformas já adotam meios eletrônicos de pagamento, aumento de 5,4 pontos percentuais na comparação anual.
  • As vendas globais no e-commerce aumentaram 19% em julho de 2020 em comparação com julho de 2019, de acordo com análise da ACI Worldwide. Os dados também mostraram que as vendas de itens para uso ao ar livre tiveram o maior aumento na comparação ano a ano, de 9% em 2019 para 12% em 2020.

Farmacêutico

  • As medidas de isolamento social provocadas pela pandemia levaram a um boom na operação de delivery e comércio eletrônico nas farmácias brasileiras. As vendas online movimentaram R$ 718,77 milhões entre janeiro e junho de 2020, valor 106,49% maior do que o registrado no mesmo período de 2019. O resultado das vendas online foi influenciado especialmente pelos genéricos e medicamentos isentos de prescrição médica. Para efeitos de comparação, o faturamento geral do varejo farmacêutico cresceu 7,74% no período.
  • Segundo o Farmácias APP, aplicativo de vendas online de itens de saúde e beleza, os hipnóticos sedativos, classe que engloba medicamentos para ansiedade e insônia, tiveram crescimento de 20% nas vendas nos seis primeiros meses do ano, quando comparadas ao mesmo período do ano passado. Como consequência, o faturamento desses itens também registrou alta, de 24%.

Financeiro

  • Nos últimos 12 meses, o número de empresas de tecnologia que oferecem serviços financeiros no Brasil cresceu 28%, segundo a pesquisa Radar Fintechlab. Em junho de 2019 havia 604 fintechs, saltando para 771 em agosto deste ano. Enquanto 258 empresas foram abertas, 92 encerraram os seus serviços. Do total das novas fintechs, 77 atuam no setor de pagamentos. As empresas de gestão financeira ocupam o segundo lugar da lista, com 44 novas companhias, ao passo que as fintechs que oferecem serviços de empréstimos estão logo em seguida, com 39 empresas.
  • A OLX, plataforma de compra e venda online, expande a sua solução de pagamentos digitais para todo o Brasil. A “OLX Pay” tem como foco viabilizar transações mais seguras para vendedores e compradores do site. O serviço disponibiliza pagamento parcelado em até 12 vezes no cartão de crédito e recebimento do valor da venda em 24 horas. Segundo a OLX, a solução também oferece a “Compra Segura”, para o recebimento do pagamento para o vendedor e devolução do valor ao comprador, no caso de problema na compra. A funcionalidade está disponível no aplicativo da OLX para a versão Android. Nos próximos meses, o serviço será estendido aos navegadores web, mobile site e iOS.
  • As compras realizadas com cartões de crédito, débito e pré-pagos cresceram 3% no primeiro semestre do ano, somando R$ 876,4 bilhões em transações, de acordo com dados divulgados hoje (19) pela Associação Brasileira de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Ao longo do semestre os brasileiros movimentaram R$ 540,4 bilhões (+0,8%) com cartões de crédito, R$ 323,2 bilhões (+5,7%) com cartões de débito e R$ 14,7 bilhões (+68,4%) com cartões pré-pagos, totalizando 10,5 bilhões de transações.
  • A empresa de pagamentos PagSeguro totalizou R$ 296,3 milhões em lucro líquido no segundo trimestre deste ano. O valor representa queda de 8,2% em relação ao mesmo período de 2019. As receitas totais caíram 2,3%, para R$ 1,357 bilhão, com reflexos da pandemia, afirma a empresa. As receitas financeiras diminuíram 7,6%, para R$ 459,2 milhões, enquanto as despesas totais subiram 1,8%, para R$ 945 milhões, com os custos de vendas e de serviços avançando 15,9%. Os pagamentos feitos por meio de canais da PagSeguro somaram R$ 29,8 bilhões, alta de 11,4%. Já a base de lojistas cresceu 1,1 milhão em 12 meses, para 5,8 milhões.

Food Service

  • O Grupo Habib’s firmou uma parceria com o Mercado Pago, fintech do Mercado Livre, para aceitar pagamentos com Código QR. Até o final de setembro deste ano, 301 restaurantes Habib’s, 285 Ragazzo e seis unidades do Tendall aceitarão a nova modalidade de pagamento.
  • A Nestlé vai elevar o investimento no Brasil neste ano em cerca de 40%, com recursos para inauguração de novas linhas de produção e modernização de fábricas, informou a companhia de alimentos. A empresa vai investir no país este ano cerca de R$ 763 milhões ante RS$ 544,6 milhões aplicados em 2019. O valor também é o maior investido pela empresa no Brasil desde pelo menos 2016. O Brasil é quarto mercado global da Nestlé, segundo dados da companhia, e maior da América Latina.

Imobiliário

  • Cerca de 43% dos brasileiros pretendem comprar um imóvel nos próximos três meses, revelou uma pesquisa feita pelo Zap em parceria com a Fipe. Trata-se do maior percentual já registrado pelo estudo desde 2014. No primeiro trimestre, a intenção de compra era de 36%. Segundo o estudo, as razões por trás do aumento incluem a redução nas taxas de juros do crédito imobiliário e a expectativa de queda nos preços. Cerca de 88% dos compradores em potencial afirmam que sua intenção é comprar uma casa para morar, enquanto os 12% restantes planejam usá-lo para obter renda com aluguel ou revenda.

Logística

  • O volume total de fretes cresceu 31% entre maio e junho, o que sinaliza uma retomada no setor de transporte de cargas, segundo relatório da FreteBras. Analisando os principais setores individualmente, o aumento foi de 23% no setor de agronegócio, 32% em construção e 35% em industrializados no período. Quando analisado o acumulado de maio e junho, o volume de fretes cresceu 74%.
  • Cerca de 100 mil funcionários dos Correios em todos os estados do país entraram em greve desde às 22h de segunda-feira (17). A paralisação ocorre por tempo indeterminado em protesto contra a retirada de direitos, a privatização da empresa e a ausência de medidas para proteger os empregados da pandemia do coronavírus, informou a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (Fentect).
  • Em julho, a movimentação de cargas totalizou R$ 633 bilhões em todo o país, aumento de 12% em relação ao mês anterior, quando foram contabilizados R$ 532 bilhões. Os dados são da AT&M Tecnologia, empresa de averbação de seguros para transporte de cargas. No período, foram registrados 76 milhões de documentos sobre cada movimentação de carga, alta de 8,4% na comparação com junho, quando foram averbados 64 milhões. Já no primeiro semestre, o setor obteve crescimento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a AT&M, os dados são baseados em mais de 26 mil transportadoras e embarcadores.
  • O ecossistema Delivery Center , que promove integração entre lojistas físicos, marketplaces e shoppings, ampliou sua parceria com a B2W, controladora dos portais de e-commerce Submnarino, Shoptime e Americanas.com. A expectativa é que cerca de 2 mil lojistas de 60 shoppings em 24 cidades sejam integrados ao sistema da B2W e Delivery Center até o fim deste ano.

Saúde

  • Em meio à pandemia, o governo federal planeja cortar o orçamento do Ministério da Saúde para R$ 127,75 bilhões em 2021. O valor está abaixo do total aprovado para o começo deste ano, que era de R$ 134,7 bilhões, e também é inferior ao limite atual de gastos da pasta, equivalente a R$ 174,84 bilhões. Da verba prevista para 2021, R$ 110,14 bilhões seriam para gastos obrigatórios, como a folha de pagamento de servidores, e outros R$ 16,47 bilhões seriam valores passíveis de ser remanejados pelo governo, como custos com contratação de serviços. A proposta deve ser encaminhada ao Congresso até o fim de agosto.

Streaming

  • O serviço de streaming da Disney deve chegar ao Brasil no dia 17 de novembro. O aplicativo, que terá um catálogo totalmente original, deve competir com outros serviços já oferecidos no mercado brasileiro, como Netflix e Amazon Prime Video. Lançado primeiro nos Estados Unidos e na Europa, o Disney+ já conta com mais de 60 milhões de assinantes no mundo. Segundo um estudo da consultoria Strategy Analytics, o total de assinantes de plataformas de streaming de vídeos no mundo deve atingir 949 milhões até o fim de 2020, cerca de 5% a mais do que a estimativa calculada antes da pandemia.

Tecnologia

  • A Totvs oficializou uma oferta de R$ 6,1 bilhões pela rival Linx, superando assim a oferta feita pela empresa de meios de pagamentos StoneCo. A oferta, com um prêmio cerca de 1% sobre a proposta da StoneCo, fez com que as ações da Linx chegassem a subir 13%. Assim, espera-se que a StoneCo, cuja capitalização de mercado é mais que quatro vezes a da Totvs, faça uma nova oferta mais alta. A Totvs afirmou que sua oferta envolve 1 ação da empresa e 6,20 reais por cada ação da Linx, avaliando cada ação da Linx em 34,09 reais. A proposta é válida por 30 dias.
  • Pouco mais de dois anos depois de se tornar a primeira empresa de valor trilionário no planeta, a Apple chegou a uma capitalização de mercado de US$ 2 trilhões (R$ 10,9 trilhões). Trata-se da primeira companhia dos Estados Unidos a atingir esse valor nos mercados abertos, e a segunda empresa do mundo a fazê-lo, depois da estatal petroleira Saudi Aramco. As ações da companhia subiram 1,3% no pregão da manhã em Nova York, atingindo a cotação de US$ 468,40 (R$ 2.560,23)

Varejo Geral

  • Somente no mês de abril, as vendas de marcas próprias no varejo cresceram 8,1% em relação ao mesmo período do ano passado, totalizando uma movimentação de R$ 420 milhões no quarto mês deste ano, segundo dados Nielsen . Considerando todos os segmentos, a Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização (Abmapro) estima que 2020 fechará com essas marcas somando R$ 8 bilhões em faturamento, algo que, caso confirmado, significará um avanço de 9,6%
  • O varejista Magazine Luiza registrou crescimento de 49% em vendas totais no segundo trimestre deste ano, para R$ 8,6 bilhões, na comparação com o mesmo período de 2019. Com o recorde, o Magalu se torna a maior empresa de varejo de bens duráveis do país. A operação digital, formada por site, aplicativo, marketplace, Netshoes, Zattini, Época Cosméticos e Estante Virtual, obteve expansão de 182%. O destaque, segundo a rede, foi o marketplace, com alta de 214%. Com o fechamento das lojas físicas, o e-commerce passou a representar 78,5% das receitas totais da companhia, que transformou 700 filiais em dark stores, que entregam diretamente ao cliente. Hoje, o Magazine Luiza opera 1.157 unidades em 18 estados.
  • A Casas Bahia e o Pontofrio, bandeiras da Via Varejo, disponibilizarão a opção de pagar diretamente com o vendedor em todas as lojas do Distrito Federal, sem necessidade de ir até o caixa para fechar a compra. A partir da próxima semana, os atendentes receberão uma maquininha de cartão e a última atualização do “Via+ mobile”, aplicativo interno de vendas da Via Varejo. Os equipamentos também contam com acesso à plataforma Vendedor Online, que possibilita a oferta em todas as categorias disponíveis nos sites, e o relacionamento com o cliente por meio das soluções “Me Chama no Zap”, para a Casas Bahia, e “Vai no Contatinho”, para o Pontofrio.
  • Com 110 lojas, a rede de pet shops Petz revelou planos de abrir capital na Bolsa de Valores. A expectativa é de que a oferta pública inicial de ações movimente até R$ 3,4 bilhões. O valor deve ser utilizado na expansão de lojas e de clínicas veterinárias, além de recursos tecnológicos.
  • O Magazine Luiza anuncia a aquisição da startup Stoq, que oferece ferramentas de atendimento e digitalização para pequenos e médios varejistas. A operação ampliará a integração de canais de vendas da varejista e permitirá, por exemplo, que parceiros da rede aceitem pagamentos com a carteira digital Magalu Pay em suas lojas físicas. Com sede em São Carlos (SP), a Stoq passa a integrar o Luizalabs, laboratório de Tecnologia e Inovação do Magazine Luiza. Esta é a quinta aquisição da varejista no ano. Em 2020, já foram compradas a livreira Estante Virtual, a startup Hubsales, a plataforma de geolocalização da Inloco Media e o portal Canaltech.

Varejo Supermercadista

Links para Leitura

Pedro de Vito

Especialista em Inteligência de Mercado na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Administração na UFJF, apaixonada por pessoas, inovação e tecnologia.