Siga-nos nas redes sociais

Must Have ou Nice to Have são conceitos que buscam caracterizar as funcionalidades de um produto como essenciais ou como desejáveis ao usuário. Ao fazer essa qualificação, o dono do produto consegue compreender qual o grau de prioridade que o público vê naquilo que ele está desenvolvendo.

A relevância dos conceitos Must Have e Nice to Have está na capacidade de fornecer novas informações a respeito do projeto desenvolvido e a importância das funcionalidades que estão sendo feitas. Isso auxilia no planejamento de ações e processos a serem elaborados pelo dono do produto e por sua equipe.

Indo além dos conceitos, a metodologia MoSCoW, criada por Dai Clegg, consultor da Oracle UK, busca praticar esse exercício de priorização dentro de projetos, classificando as ações em 4 diferentes níveis de criticidade, inclusive Must Have e Nice to Have, que é o mesmo que Could Have.

Por meio desses conceitos e da metodologia MoSCoW você poderá priorizar as ações que devem ser feitas durante o seu projeto, te dando agilidade e propriedade para a resolução de possíveis problemas que podem aparecer.

Must Have ou Nice to Have: Como priorizar no seu produto

Must Have e Nice to Have: O que são esses conceitos?

Quando um produto é desenvolvido, ele tem como objetivo suprir a demanda de um mercado e, para que isso seja feito de forma plena, são criadas funcionalidades dentro dele, capazes de complementar tudo aquilo que está sendo oferecido ao cliente.

Entretanto, essas features podem ser classificadas dentro de duas categorias: Must Have e Nice to Have, que medem o nível de prioridade delas, mostrando se elas são realmente necessárias ao cliente ou somente interessantes.

A expressão Must Have, quando traduzida para o português se torna “Deve ter”, ou seja, é tudo aquilo que é indispensável para o usuário. Eu diria que são as principais features que seu produto possui, aquelas que expressam exatamente o intuito do que você está ofertando.

Podemos fazer uma analogia entre a categoria Must Have com o MVP (Minimum Viable Product), já que as features presentes em ambos são aquelas capazes de entregar valor ao consumidor e demonstrar o foco e a funcionalidade de um produto.

Já o conceito Nice to Have pode ser compreendido como desejável e interessante, mas não é indispensável. Por essa razão, as funcionalidades presentes aqui são aquelas consideradas luxos que facilitam a vida do cliente, mas que sua ausência não interfere na funcionalidade do produto.

Estrategicamente falando, features Nice to Have podem ser desenvolvidas e incluídas em etapas posteriores do produto, depois do seu amadurecimento e validação do mesmo. Essas features podem inclusive se tornar Must Have, dependendo do rumo em que o produto for evoluindo. Porém, a ideia inicial é realmente começar com o que é necessário.

O método MoSCoW: Priorizando de forma estruturada

Todo projeto, quando está sendo desenvolvido, precisa ter um planejamento para que não se perca no caminho. Existem diversos compromissos que devem ser cumpridos e saber qual a prioridade deles é essencial. Foi pensando nisso que Dai Clegg, consultor da Oracle UK, desenvolveu um método de priorização de tarefas, chamado MoSCoW.

O objetivo dessa ferramenta é classificar os requisitos de um projeto de acordo com a sua necessidade, ou seja, priorizar aquilo que tem-se como mais importante para o seu progresso. Este método está altamente ligado com os conceitos Must Have e Nice to Have, e pode ser visto como a aplicação prática deles.

As letras que formam a palavra MoSCoW representam quatro categorias presente no método, elas são:

  • Must Have (Deve Ter)
  • Should Have (Deveria Ter)
  • Could Have (Poderia Ter)
  • Won’t Have (Não Terá)

O interessante dessa análise é não separar as tarefas em somente duas categorias, das que são prioridades e as que não são, e sim em quatro, dando ao empreendedor, ou a pessoa que estiver fazendo a análise, uma maior visão sobre quais ações se sobressaem e devem ser feitas antes da outra.

Must Have ou Nice to Have: Como priorizar no seu produto Must Have (deve ter)

1. Must Have (Deve Ter)

As tarefas presentes na categoria Must Have são aquelas que são indispensáveis e inegociáveis e que, caso elas não sejam cumpridas, podem comprometer o projeto a alcançar êxito.

O Tic.Portal, iniciativa do Centro Europeu do conhecimento para a tecnologia de informação, deu um exemplo bem interessante de uma tarefa que deve ser priorizada diante das outras:

“Por exemplo, se uma empresa se interessa primeiro por um sistema ERP (Sistema de planificação de recursos empresariais), porque sua programação manual da produção sofre erros semanalmente e, consequentemente tem perda de tempo, o módulo de planificação da produção se torna um Must Have.”

Como podemos perceber, o Must Have é aquilo que interfere diretamente no projeto e a forma como ele seguirá desenvolvendo.

2. Should Have (Deveria Ter)

As palavras Deve e Deveria podem ser parecidas, mas conseguem indicar uma diferença de prioridades entre elas. Enquanto o Must Have são tarefas indispensáveis e urgentes, o Should Have agrupa aquelas ações que são muito importantes para o projeto, mas que podem esperar um tempo para serem concluídas.

Podemos falar que as ações desta categoria são altamente desejáveis e que, geralmente, são tarefas que possuem o intuito de aumentar o ROI (Retorno Sobre Investimento).

3. Could Have (Poderia Ter)

As tarefas Could Have são as mesmas caracterizadas como Nice to Have, e são aquelas ações que não devem ser levadas como prioridade, mas que são interessantes para o negócio.

A verdade é que, como os features Nice to Have, o que se enquadra nesta categoria pode ser visto como um luxo, e que só será feito se houver tempo e dinheiro suficiente, ou até mesmo por uma estratégia de marketing para atrair mais clientes.

4. Won’t Have (Não terá)

A categoria Won’t Have é destinada àquelas ações que não são prioridade no momento e que não têm previsão de agregação de valor ao projeto. A importância de guardar essas ideias, que agora são consideradas descartáveis, é que as variáveis que exercem influência sobre o que está sendo desenvolvido podem mudar, e com isso, a lista de prioridades também.

É interessante saber que dentro do método MoSCoW não existe ideias estáticas, ou seja, os desejos e prioridades do projeto podem mudar, fazendo com que ideias que não iriam agregar valor, passem a agregar e outras que eram primordiais, percam o sentido.

As quatro etapas de uso da metodologia MoSCoW

Agora que você compreendeu o que são e quais são os quatro estágios de priorização da metodologia, é importante que você saiba aplicá-la em seus projetos. Para isso, existem quatro passos que você pode seguir:

  1. Organize seu projeto
  2. Escreva e priorize sua lista de tarefas
  3. Desafie a lista MoSCoW
  4. Comunicação

Essas etapas irão te ajudar desde a organização das suas ideias/tarefas até a comunicação com seus clientes e parceiros a respeito delas.

Must Have ou Nice to Have Como priorizar o seu projeto Organize o seu projeto

1. Organize seu projeto

O primeiro passo para botar a estratégia MoSCoW em prática é organizar o seu projeto. Faça um detalhamento de todas as áreas presentes nele e descubra quais são os tópicos que precisam passar por uma avaliação de prioridades.

Se você possui uma equipe, é interessante designar responsáveis para as tarefas que precisam ser executadas ou pelas ideias que devem ser analisadas. Deixe tudo organizado de uma forma que todos possam compreender e opinar.

2. Escreva e priorize sua lista de tarefas

Depois de identificar as ideias ou tarefas que precisam ser analisadas, você deve escrevê-las em um documento para ter uma boa visualização. Em seguida, avalie criticamente cada uma, levando em consideração os quatro estágios da metodologia MoSCoW.

Este passo pode ser muito difícil, porque muitas pessoas ainda não sabem o que deve ser colocado como reais prioridades de seu projeto. Por essa razão, uma dica para completar o quadro é começar pelas ideias que não fazem nenhum sentido serem priorizadas de alguma forma, ou seja, comece pelas ideias Won’t Have até chegar ao Must Have.

3. Desafie a lista MoSCoW

Podemos chamar este passo de revisão, já que ele é somente uma maior observação crítica a respeito dos pontos que foram priorizados. Uma dica para saber se o uso da metodologia está correto é através da contagem da quantidade de tarefas que foram colocadas como Must Have e Should Have.

As tarefas urgentes devem ser menores do que aquelas que podem esperar um tempo para serem realizadas. Isso garante maior produtividade e foco na hora da resolução dos seus problemas e execuções das tarefas.

4. Comunicação

Na quarta e última etapa, você deve passar o que foi decidido para as pessoas envolvidas com o projeto e que se interessam por ele. É importante que você explique a escolha das tarefas priorizadas, entender o porquê do que deve ser feito torna uma tarefa mais fácil de ser concluída.

Must Have ou Nice to Have: Como priorizar no seu produto Comunicação

Conclusão

Ter foco e organização são pontos importantes para a realização de tarefas. Dessa maneira, ao ajudar a priorizar as ações e ideias de um projeto, os conceitos Must Have e Nice to have, complementado com a metodologia MoSCoW, auxiliam na produtividade do que está sendo desenvolvido.

Por essa razão, saber o que são esses conceitos e a aplicação prática da priorização de tarefas no seu negócio é essencial para qualquer empreendedor que deseja otimizar os seus processos. Espero que este artigo tenha sido útil para você, sanando suas dúvidas acerca do assunto ou te apresentando uma nova maneira de organizar o seu projeto.

Links para leitura

Ana Antunes

Especialista de Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Economia na UFJF, apaixonada por inovação e tecnologia.
Fechar
1
Oi, tudo bem? Como posso te ajudar?
Powered by