• O mercado de seguros é um dos que mais movimentam ativos financeiros no Brasil.
  • Diante de tanto capital, as startups viram uma boa oportunidade para tranformar digitalmente esse setor.
  • Entre suas principais aplicações, estão a digitalização dos processos, realização de cálculos e desburocratização.

Empresas de tecnologia e startups já perceberam as vantagens e a oportunidade de crescimento dessa nova tendência. Investidores estão cada vez mais atraídos pelos benefícios do novo tipo de negócio.

Estar atento às inovações e tecnologias disponíveis no mercado é essencial para diretores e gestores de corretoras de seguro, e isso não diz respeito apenas às tecnologias voltadas para esse setor.

As insurtechs, por exemplo, são uma opção bem interessante para sua corretora e podem trazer uma série de benefícios a curto e longo prazo.

Desenvolva a Solução que o seu Negócio precisa

O que é Insurtech?

Insurtech é a junção da palavra Insurce (seguro) e Tech ( tecnologia). Pelo nome já é possível notar seu objetivo, a transformação do modelo atual da indústria de seguros, implementando novas tecnologias e inovações que auxiliam na maximização dos resultados e gerando benefícios para todo o ecossistema: seguradoras, corretoras e segurados.

Panorama do mercado

Os investimentos globais no setor de tecnologia de seguros tiveram um crescimento significativo em 2017, revela estudo da Accenture.

De acordo com o relatório, o número de negociações em Insurtech aumentou 39% no mundo todo em 2017, com um acréscimo de 32% no valor total de contratos, chegando a US$ 2,3 bilhões.

A América do Norte ainda lidera o setor quando se trata de valor total e número de contratos – responsável por US$ 1,24 bilhões ou 46% das negociações do ano passado -, mas esse número cresceu apenas 6% em 2017.

Já na Europa, o número de contratos aumentou 118%, o que corresponde a um terço de todos os contratos em Insurtech do mundo. O valor total aumentou impressionantes 385%, chegando a US$ 679 milhões.

Com representatividade de 6,5% no PIB, o mercado de seguros no Brasil, arrecadou em 2018 cerca de R$444,9 bilhões. As seguradoras mantêm mais de R$1,2 trilhão em ativos, ou seja, 25% da dívida pública, tornando o setor um dos maiores investidores institucionais do país, segundo a CNseg.

No report realizado pela Distrito sobre o mercado Insurtech no Brasil, foram mapeadas 113 startups voltadas para o setor de seguros. Sendo que, quase metade delas tem foco em Infraestrutura e Backend, trabalhando com seguradoras já existentes no mercado.

No entanto, existe um desafio para o crescimento das Insurtechs, o seguro é uma indústria altamente regulamentada. No setor, existem muitas legalidades jurídicas com as quais é preciso lidar.

Assim, muitas startups de insurtech ainda precisam da ajuda de seguradoras tradicionais para administrar a subscrição e gerenciar riscos catastróficos.

Especialistas esperam que à medida que mais startups Insurtech conquistarem o interesse do consumidor com um modelo refinado e uma abordagem amigável, os modelos mais digitais serão encaixados em regulamentações já existentes.

Insurtech O que é e como ela mudou o setor de Seguros-O que é Insurtech

Como funciona uma Insurtech?

As empresas tradicionais se servem da burocracia e categorias de seguro pouco flexíveis, em que, invariavelmente, parte dos contratantes acabam pagando por um valor maior do que realmente precisam.

Seria como se um indivíduo pagasse por um nível de risco que, na verdade, ele não apresenta. No entanto, não existe uma opção de apólice mais condizente com o perfil dele.

É aí que entram as insurtechs, que têm a proposta de reformular processos e a forma como o produto é oferecido. Entre os diferenciais de uma insurtech para uma companhia de seguros tradicional estão:

  • Otimizar processos, economizando tempo e dinheiro, já que a interface pode ser via digital.
  • Escalabilidade, ou seja, a expansão da atuação de uma única empresa, que pode oferecer o seguro para outras cidades e estados, com a operação toda online.
  • Uso de software de gestão, fazendo com que a apólice seja calculada com mais rapidez.
  • Elaboração de produtos mais personalizáveis, em que atende às reais necessidades do contratante.
  • Preços mais condizentes com o que o consumidor procura;
  • Abordagem mais moderna e próxima com o público
  • Flexibilidade na contratação da apólice (por evento ou período).

Como elas beneficiam o setor de seguros?

Primeiramente, esse modelo prepara a mentalidade dos gerentes e gestores para possíveis mudanças pelas quais o setor sofrerá no futuro.

Além disso, através das mudanças implementadas, a identificação das expectativas dos clientes fica muito mais simples. Assim, é mais fácil atendê-las com eficiência baseado em um modelo de atendimento personalizado.

Como grande parte das questões são resolvidas através da automação de processos, o rendimento das equipes que cuidam da parte burocrática da empresa também é maximizado.

Um bom exemplo disso é a realização dos cálculos. Ela possibilita a realização de uma cotação simultânea em várias seguradoras existentes no mercado em um processo automático que é feito através do preenchimento de um formulário.

Assim, com os processos agilizados, seus colaboradores podem destinar seus tempo e atenção para atividades mais estratégicas e analíticas.

Além disso, seus clientes também acabam ficando mais satisfeitos ao receber um atendimento diferenciado. Isso faz com que o relacionamento entre eles e o seu negócio melhore, aumentando as taxas de retenção, por exemplo.

Insurtech O que e e como ela mudou o setor de seguros Como funciona uma Insurtech

Principais aplicações

A função de uma Insurtech é promover uma revolução no funcionamento das corretoras de seguro, a fim de automatizar operações, modernizar e melhorar todos os processos analíticos de uma empresa.

Essa startup também ajuda no relacionamento com o cliente, auxiliando na promoção de uma verdadeira relação entre ambas as partes, melhorando e fortalecendo o marketing de conteúdo.

O seu maior objetivo é a digitalização de todo o processo. Assim, você é capaz de estruturar o seu negócio da melhor maneira possível, saindo de um modelo baseado em processos manuais e entrando e migrando para um automatizado.

A Insurtech também possibilita que você ofereça serviços personalizados para os seus consumidores. E isso é ótimo, já que as necessidades de cada cliente são distintas entre si. Com isso, as soluções também acabam não podendo ser as mesmas.

Parcerias entre seguradoras e as startups

Diante disso tudo, muitas seguradores podem se sentir ameaçadas perante as Insurtechs. Porém, há inúmeras oportunidades de parcerias entre as empresas tradicionais e as startups Insurtechs.

Em um mundo onde o digital já é dominante, instituições financeiras e seguradoras já perceberam que devem investir em menus de serviços digitais, mobiles, omnichannel, bem como em metodologias ágeis, estratégias centradas no usuário e Data Science.

Firmar parcerias com startups que atuam dentro do conceito de Insurtech é, portanto, garantir um upgrade nos modelos de negócios, contar com equipes de tecnologia altamente capacitadas para tornar o processo de criação de produtos de seguros e muito mais fácil, rápido e eficiente.

Dessa forma, as seguradoras podem aproveitar a tecnologia de Inteligência Artificial para, por exemplo, fornecer um serviço personalizado para seus consumidores e resumir e apresentar rapidamente os produtos mais relevantes e úteis, muito mais rápido do que um humano.

Com a Internet das Coisas, podem obter dados detalhados sobre seus públicos de interesse e desenvolver e oferecer os produtos certos no momento certo. O seguro sob medida para motoristas pode ser baseado em dados enviados diretamente pelos veículos.

Isso tudo aliado a ganho de reputação, aumento da capacidade de inovação, redução de burocracias e custos, ampliação do território de atuação, entre outras vantagens.

Insurtech O que é e como ela mudou o setor de Seguros-Parcerias entre seguradoras e startups

Conclusão

Buscar Soluções Digitais capazes de desburocratizar e agilizar os serviços de seguros é um dos grandes desafios que essas startups buscam enfrentar. Somente nos últimos quatro anos, de acordo com a Distrito, surgiram mais da metade das Insurtechs que estão no mercado atualmente.

De acordo com os levantamentos, a maior parte dessas startups estão no setor B2B, buscando solucionar problemas enfrentados por seguradoras, como a burocratização de processos, contratações, e desenvolvimento de soluções personalizadas com base em dados.

Mesmo com os entraves legais que fazem com que alguns processos sejam mais dispendiosos, é possível fazer o desenvolvimento de Soluções Digitais capazes de resolver esses gaps, tornando os serviços mais simples e acessíveis, assim como foi o caso das Fintechs.

Por estes motivos, o setor de seguros está sendo considerado um mercado promissor, e as Insurtechs possuem uma grande oportunidade de crescimento no mercado atual.

Links para Leitura

Eduarda Terra

Especialista de Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Economia na UFJF.