Com a ascensão da mulher no mercado de trabalho e o aumento da sua influência como consumidora, as empresas ampliaram as oportunidades de desenvolvimento e vendas de produtos voltados para o público feminino.

Nos últimos anos, a indústria tecnológica mundial percebeu o potencial do mercado de produtos para mulheres, o que deu origem a diversos empreendimentos lucrativos que conquistaram o público feminino, principalmente dentro dos setores de saúde e bem-estar.

Mas o que caracteriza a chamada Femtech não é apenas as startups para o público feminino. Trata-se também de trabalhos desenvolvidos por mulheres para mulheres, mesclando tecnologia com funcionalidade.

Desenvolva a Solução que o seu Negócio precisa

O que é Femtech?

Femtech é qualquer empresa ou startup que faça uso da tecnologia para atender necessidades específicas das mulheres, principalmente as que são relacionadas a saúde e bem-estar. Para algumas pessoas, o movimento também serve para enfatizar a participação das mulheres no mundo dos negócios.

Como elas surgiram?

A partir do momento em que o público feminino começou a ditar as próprias tendências e buscar por soluções que realmente as atendiam e facilitavam o seu dia a dia em casa, no trabalho e no lazer, começaram a surgir oportunidades para que empreendedoras se aventurassem e mostrassem sua capacidade de criar negócios lucrativos.

Apesar dos cuidados com a saúde da mulher terem evoluído nas últimas décadas, muitos outros anseios precisavam ser atendidos, e é esse gap que passou a ser explorado com a filosofia Femtech, fazendo uso da tecnologia como aliada para a criação de produtos e serviços.

Esses produtos atendem necessidades específicas da mulher, e além da saúde, podem ser exploradas em outras áreas, como beleza e moda.

Panorama do mercado Femtech

A medida que essa categoria continua a crescer e a ser alimentada por investidores e gestores em todo o mundo, seu impacto está se expandindo para além da área de saúde e alcançando novos domínios. 

De acordo com um  relatório da Rock Health, o financiamento para as Femtechs aumentou 812% entre 2014 e 2018. Sendo que a indústria chegou a ser avaliada em 2019 em U$50 bilhões, segundo a Forbes

Apenas na área da saúde, nos últimos três anos foram direcionados mais de US$ 1 bilhão em financiamentos para o desenvolvimento de softwares, equipamentos de diagnóstico e serviços para a melhoria da saúde da mulher.

Uma pesquisa da Crunchbase, realizada em 2017, confirma essa realidade. A área de saúde ocupa 21% das estatísticas de empresas de tecnologia fundadas por mulheres. O movimento Femtech é tão grande que as agências reguladoras de alguns países vêm aprovando aplicativos digitais para monitoramento e gestão da saúde feminina.

A Frost & Sullivan, que é uma consultoria com foco em desenvolvimento de inovações,  realizou um relatório completo trazendo as principais estatísticas que tange às Femtechs.

Segundo a empresa, existe uma necessidade iminente das empresas de saúde entenderem o potencial de mercado das Femtechs e formularem estratégias para segmentar, direcionar e posicionar seus produtos.

O relatório também identificou algumas vertentes direcionadoras para os investimentos das Femtechs:

  • Melhoria do acesso a produtos e serviços de cuidados da mulher em áreas rurais ou remotas.
  • Capacitação de mulheres para uma autogestão da sua saúde, por meio de tecnologias digitais.
  • Soluções para melhoria do sono e controle de estresse.
  • Inteligências para facilitar o planejamento de uma alimentação saudável no dia a dia.
  • Novos cenários para a saúde reprodutiva e cuidados pós-parto, com auxílio de aplicações digitais.
  • Dispositivos para coletar dados e desenvolver indicações de atividades físicas de acordo com a condição corporal.

Ainda de acordo com o relatório, a urgência para que as tecnologias sejam direcionadas para os serviços de saúde deve-se ao fato de:

  • 80% dos gastos em casa com assistência médica são feitos por mulheres.
  • O gasto per capita com saúde entre mulheres em idade produtiva é 29% maior do que entre os homens na mesma fase da vida.
  • 50% dos clientes globais de saúde são mulheres.
  • A elas cabem, na imensa maioria dos casos, os cuidados com idosos e crianças.
  • Quase 70% das usuárias de internet procuram informações online sobre saúde.
  • As mulheres são 75% mais propensas a usar ferramentas digitais para atendimento médico do que os homens.
  • 80% dos profissionais de saúde são do sexo feminino. Deles, apenas 40% ocupam cargos executivos ou gerenciais.

Além do que, as mulheres são estatisticamente melhores usuárias e consumidoras de soluções digitais de saúde do que suas contrapartes masculinas:

  • 80% dos gastos domésticos com saúde são realizados por mulheres.
  • Mulheres em idade ativa gastam 29% mais per capita em cuidados de saúde do que homens.
  • Enquanto o mercado está evoluindo, as mulheres ainda representam a maioria dos principais cuidadores de idosos e crianças.
  • As mulheres têm 75% mais chances de usar ferramentas digitais para a saúde do que os homens.

A participação da mulher tende a crescer cada vez mais no mercado, assim como o surgimento de soluções voltadas para o público feminino, principalmente dentro do setor digital.

Como as tecnologias estão sendo utilizadas?

Tecnologias como inteligência artificial, machine learning, big data e internet das coisas estão a serviço das Femtechs. Alguns dispositivos são para uso pessoal, como os aplicativos, e outros, como os software, são usados por empresas.

Os aplicativos tem desempenhado um papel importante no desenvolvimento da tecnologia para as mulheres, e eles são explorados em diferentes áreas, desde e-commerce a aplicativos que ajudam as mulheres a acompanhar o ciclo menstrual.

Muitos desses aplicativos utilizam os dados que são gerados pelas próprias usuárias para trabalharem com a análise de big data, usando os resultados para a criação de medidas voltadas para a prevenção de doenças ou para a venda de algum remédio ou produto.

A plataforma online é outra aliada, pois facilita a triagem de pacientes nos atendimentos médicos, principalmente em locais sem infraestrutura adequada de saúde. E para isso, utilizam a inteligência artificial para criar controles mais precisos de pacientes e seu histórico médico.

A internet das coisas também vem se tornando uma grande tendência nesse mercado. Cada vez mais são utilizados dispositivos, que são conectados a softwares, que servem para a captação de alguns dados em tempo real, como o período de ovulação e temperatura corporal, sendo essas estatísticas comumente usadas para medidas de controle de natalidade ou menopausa.

Importância para o empoderamento feminino

As mudanças culturais que nossa sociedade vem passando e a ascensão econômica da mulher forçaram a transformação conhecida pelo empoderamento feminino. O movimento do mercado Femtech é resultado dessa mudança.

Tecnologia de ponta, startup, disrupção, são palavras que antes eram mais comuns no universo masculino, mas agora fazem parte da vida e da atuação profissional das mulheres, focando os produtos nas especificidades femininas.

Indo mais além, não entender a força da mulher no empreendedorismo é um equívoco que não cabe mais no mercado atual. Estamos vivendo uma nova realidade do papel da mulher no mercado, tanto como consumidoras quanto fornecedoras de soluções.

Com isso, o progresso econômico e desenvolvimento social passaram a ser marcados pela participação da mulher. As oportunidades de liderança feminina em contextos ditados pela tecnologia têm crescido, e os desafios enfrentados com sabedoria.

Conclusão

A partir desses dados, fica visível a participação da mulher no mercado não só como consumidora, mas também como criadora de soluções.

O avanço das Femtechs, sem dúvida, representa um avanço e tanto para as mulheres, não só na área da saúde, mas também na sociedade, pois a luta pela igualdade de direitos dentro do mercado da tecnologia ainda está longe de acabar.

O movimento causado pela Femtech é apenas o primeiro passo dessa revolução, e como resultado, ela ainda trará muitos produtos e tecnologias que facilitarão cada vez mais o cotidiano do público feminino.

Links para Leitura

Eduarda Terra

Especialista de Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Economia na UFJF.