Siga-nos nas redes sociais
  • Desenvolver software internamente pode ser bom, mas existem desafios que precisam ser considerados
  • Se sua equipe já está com muita demanda, colocar eles responsáveis pela “inovação” pode ser contra produtivo
  • Manter um padrão de desenvolvimento e documentação compatível com o mercado é uma necessidade prioritária
  • Sua empresa não deve ficar refém das tecnologias que sua equipe domina. Isso pode forçar o uso de tecnologias não adequadas para determinadas soluções

Na última década, com a queda nos custos da computação e um intenso desenvolvimento de novas ferramentas de Software, muitas pequenas empresas adotaram soluções digitais para melhorar e aperfeiçoar seus serviços ou produtos. Além disso, houve o boom das startups, que, em geral, utilizam a tecnologia como base do seu modelo de negócios.

Investir no desenvolvimento de uma solução digital e embarcar no universo da transformação tecnológica, se tornou, então, um dos principais desejos das empresas atualmente. A tecnologia passou a não se apresentar mais apenas como uma aliada do negócio, mas como a principal ferramenta de manutenção da competitividade de uma empresa.

Por este motivo, saber como investir em ativos tecnológicos, de maneira eficaz e que respeite os objetivos da empresa e as condições que ela apresenta, é algo vital para a evolução de um empreendimento.

Caso você esteja na etapa dentre decidir sobre desenvolver internamente ou terceirizar o desenvolvimento do seu software, leve em consideração esses pontos a seguir:

Desenvolvendo Software Internamente: O que pode dar errado? Falta de comprometimento

1. Possível Falta de Comprometimento

Uma empresa que quer inovar e quer trazer boas soluções aos seus clientes precisa se dedicar à compreensão do mercado e do que os seus consumidores necessitam. Como foi dito no artigo Creating The Most Innovative Company In The World, da Forbes:

[…] naturalmente, o primeiro passo para criar a empresa mais inovadora do mundo é focar, de maneira singular, na criação de ofertas que criam valor e melhoram as experiências de seus clientes.

Se o foco é necessário, sobrecarregar os profissionais da sua empresa não é a melhor opção. Mesmo com o desenvolvimento da solução sendo parte do processo de inovação, a sua equipe precisa focar no core business, ao invés de circular por vários projetos, perdendo foco e não conseguindo entregar nada de fato em um prazo razoável de tempo.

Sempre que uma equipe é bombardeada com diversas atividades diferentes a serem cumpridas, alguma não receberá a mesma dedicação da outra. Isso se intensifica ainda mais quando são colocados prazos com bases irreais, onde as pessoas focam mais na “entrega” do que na qualidade do que é pedido. Todo o processo de inovação se torna uma grande corrida para apenas cumprir tabela ao invés de gerar resultados reais.

Por este motivo, buscar uma empresa que atue junto a sua, se dedicando, como um braço de inovação do seu negócio, pode trazer grandes resultados. As demandas internas não entrariam em uma situação de conflito e a transformação digital da empresa poderia acontecer em um processo mais organizado e, principalmente, mais rápido.

2. Eles irão receber mais por isso?

Além de possivelmente se sentirem sobrecarregados, colocar o desenvolvimento da sua solução digital nas mãos da sua equipe atual pode gerar um sentimento de frustração, caso o seu plano financeiro não conte com o aumento do salário dos seus profissionais.

Se os seus funcionários já possuem uma carga horária de 44 horas semanais produtivas, e você acrescenta tarefas, algum processo irá se perder, sendo mal feito e prejudicando todas as outras atividades subsequentes.

É importante que não só as suas expectativas sejam ouvidas durante o processo de inovação, mas também as da sua equipe. A falta de motivação dos funcionários em empresas que buscam inovar é um grande golpe que contribui para o fracasso de toda a estratégia de inovação.

Para inovar não é preciso só tecnologia, mas é necessário, principalmente, ter boas pessoas, capazes de auxiliar esse processo. Isso só é possível se, antes de tudo, houver valorização do trabalho desempenhado por sua equipe.

Desenvolvendo Software Internamente: O que pode dar errado? Eles irão receber mais por isso?

3. Miopia no desenvolvimento

Durante a nossa vida, aprendemos que existem determinadas soluções para determinados problemas. Se uma pessoa sente uma dor de cabeça, por exemplo, e ela compra uma medicação para febre, ela continuará com o seu problema inicial e, além disso, ainda terá gasto com um remédio que não era necessário.

No desenvolvimento de software isso também pode acontecer. Se não houverem profissionais que busquem trazer a tecnologia que melhor atende a solução e que tenha capacitação para programar nela, você estará dando um remédio errado para a sua dor. Só que, diferente da medicação, o valor perdido não será baixo.

É preciso compreender os objetivos da solução e o que os futuros usuários esperam dela. A tecnologia utilizada deve ser pensada vislumbrando o futuro e não levando em conta o que é mais conveniente. Isso evita muitos Technical Debts, causados pelas escolhas de soluções fáceis e limitadas, ao invés das que são realmente mais adequadas.

Por este motivo, se os desenvolvedores da sua empresa não possuem especialização na tecnologia mais indicada para a sua solução, seria um erro desenvolvê-la dentro da linguagem que eles dominam. É o futuro do seu produto que está em jogo nessa situação.

4. Documentação e Padrões de mercado

Cumprir com a documentação e com os padrões exigidos pelo mercado é, além de necessário, uma regra dentro de equipes de tecnologia bem organizadas e competentes. Um bom gestor deve saber que, além de bons desenvolvedores, um time de TI precisa de uma gestão específica e que vá de acordo com as suas necessidades.

Uma dessas necessidades é a documentação. Se uma equipe tecnológica não documenta aquilo que é feito durante o processo de desenvolvimento de uma solução ou documenta, mas de uma maneira que não está alinhada com o que mercado pede, o produto se torna vulnerável, pois não é possível agregar novos profissionais ao time ou ampliar para empresas especializadas sem que um mapeamento (e documentação) completo da solução seja feito.

A solução se torna, então, refém de uma mesma equipe, pois tudo que foi feito dentro dela foi desenvolvido de forma desordenada e sem uma especificação dos processos necessários, dificultando a compreensão daquele produto por outros profissionais.

Caso um profissional queira sair da sua equipe, você terá dificuldade em contratar outro para tomar a sua posição, pois ele não conseguirá compreender com exatidão o que foi feito dentro do desenvolvimento daquele produto. Isso irá causar um desfalque na equipe ou fará com que você tenha que fazer diversas propostas para que este desenvolvedor permaneça na empresa.

Desenvolvendo Software Internamente: O que pode dar errado? Documentação e Padrões de mercado

5. Pioneirismo

Antes de colocar o desenvolvimento da sua solução nas mãos de uma equipe interna, você deve saber qual a experiência que esses profissionais possuem e se eles serão capazes de desenvolver o seu produto de maneira ágil e com qualidade.

Qual o Know how que eles possuem sobre desenvolvimento de soluções inovadoras ou das demandas que você está criando? Ao não ter certeza dessa resposta a empresa acaba assumindo um grande risco, colocando profissionais que, durante o desenvolvimento do produto, estarão aprendendo e não produzindo de uma maneira plena.

Se os profissionais que trabalham com você ainda estão aprendendo o básico, desenvolver uma solução com integrações, complexa e inovadora se torna impossível. Toda essa situação pode sair caro para a empresa, que pode perceber problemas de execução no futuro, além da solução demorar mais do que o necessário para ficar pronta.

Conclusão

Para compreender o universo da transformação tecnológica, primeiro é preciso fazer uma transição de mentalidade. Analistas de mercado já apontam como tendência, o grau de maturidade das soluções exigidas pelo mercado atualmente, o que implica em uma equipe sólida e focada em seu desenvolvimento.

Segundo um artigo da Época Negócios:

A terceira onda tecnológica é profundamente verticalizada e especializada. Demanda expertise, recursos e talentos numa escala muito superior à corrida pelo “app de ouro” dos anos 2000. É bem mais complexo criar soluções de inteligência artificial ou robôs para a indústria 4.0, e também bem mais caro. Nenhuma destas novas verticais promissoras poderá ser desenvolvida a contento, sem uma mentalidade global de desenvolvimento e sem fundadores/CEOs/investidores conectados com o estado-da-arte desta tecnologia pelo mundo. Cada vez menos as grandes revoluções e achados de novos produtos e serviços virão de garagens…

Por este motivo, não subestimar o desenvolvimento de software e dar a real importância a ele é primordial para alcançar o sucesso dentro do mercado atual, que busca produtos maduros, avançados tecnologicamente e que consigam fazer um intercâmbio entre as principais tecnologias disponíveis.

Quando você assume a condução de um time de tecnologia internamente, deve ter em mente que existem diversos riscos, principalmente se a sua empresa não é especializada no setor, e você deve estar ciente que cometê-los pode prejudicar todo o desenvolvimento da sua solução.

Links para Leitura

Ana Antunes

Especialista de Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Economia na UFJF, apaixonada por inovação e tecnologia.
Fechar
1
Oi, tudo bem? Como posso te ajudar?
Powered by