Siga-nos nas redes sociais

O processo de criação até a entrega de um produto ao mercado pode não ser muito simples como diversos empreendedores ainda hoje pensam. Muitos visam estar inseridos rapidamente no mercado, e se esquecem de que a proposta real e final do MVP é a entrega de valor, mesmo que de forma simples.

Essas são consequências da falta de mudança de mindset, tão necessária hoje para um Empreendedor Digital, e de entender que boas coisas, realmente levam tempo para serem construídas.

Neste episódio da série Conversando com o C-Level, o nosso CTO, William Oliveira fala sobre o perigo de priorizar lançamentos rápidos de produtos ao mercado, sem frisar o seu refinamento e a boa experiência final do usuário.

Então, muitas vezes você tem um software, o próprio negócio e você fala: “Ah, eu quero ter milhares de funcionalidades, eu quero fazer tudo”, e no fim você acaba não fazendo nada, porque se você tenta fazer tudo o que você está imaginando de cara, seu software vai afundar rapidamente

Começar um negócio pode ser bem rápido, mas fazer dele um sucesso, demanda tempo. Pesquisas afirmam que Startups, por exemplo, demoram em média 4 anos para serem estruturadas e começarem a obter lucro. Qual a relação da aplicação tecnológica com o tempo de crescimento de uma empresas?

Uma empresa que hoje investe em Ativos Tecnológicos têm índices maiores de desenvolvimento. Mas para que os softwares possam ser bem construídos, eles precisam de tempo. Por isso, muitas empresas hoje, principalmente Startups, possuem um timing para estarem entrando no mercado.

O que os empreendedores e investidores de mercado fazem, geralmente, é querer estruturar tudo isso na correria. Na maioria das vezes, eles pensam que precisam entrar no mercado muito rápido, senão eles vão perder a oportunidade que eles têm.

Mas, na verdade, se você entra no mercado muito rápido, e leva uma solução tecnológica mal feita, por exemplo, ainda mais se o core do seu negócio for tecnologia, você vai acabar falhando e abrindo espaço para outras empresas que estão investindo com mais calma e de forma mais inteligente.

Quando você está com muita pressa, é justamente quando você precisa ser mais cauteloso. Porque quando você tira esse tempo, que é o necessário para entregar uma solução de qualidade, e está realmente pensando no que você está fazendo, é possível que você esteja matando o seu negócio, ao invés de colocar ele a tempo no mercado.

Essa é então uma visão um pouco distorcida de como realmente as coisas funcionam. O desenvolvimento de software em si, não é uma prática antiga. Se você comparar com outras áreas que estão atuantes há muitos anos, algumas que já existem inclusive pesquisas sólidas de como funcionam os processos, e que já tem anos e anos investidos para ter uma previsão melhor de como tudo pode sair.

Software é algo muito novo, então você não tem esse conhecimento muito acumulado, não existe uma base que te mostre como obter o sucesso do seu negócio através dele.

E com essa perda que nós temos no sentido de tempo, de não ter dado o tempo necessário de chegar a todas as conclusões, você pode acabar tomando decisões erradas. Por isso é preciso levar em consideração todos esses pontos sempre que você estiver construindo um Negócio Digital.

Uma das maneiras mais eficientes de desenvolver um produto, é iniciar o processo de MVP, através da criação de um software que represente o produto final em uma versão mais enxuta. Qual a vantagem deste modelo de desenvolvimento para empresas?

O MVP não serve apenas para o software, ele pode ajudar também aos diversos gestores a ter uma visão boa sobre o próprio negócio. Em muitos casos, você tem um software, ou o próprio negócio e você diz: “Ah, eu quero ter milhares de funcionalidades, e quero fazer tudo”, mas no fim você acaba não fazendo nada.

Quando você tenta fazer tudo o que está imaginando muito rápido, seu software pode afundar muito rapidamente, isso porque você vai ver que o tempo para construir toda essa estrutura é bem longa.

Nesse sentido, o MVP serve muito para que você possa fazer uma auto-análise, não só como empreendedor, mas também no seu negócio e ver o que você realmente precisa para colocar ele no mercado.

Pode ser que você tenha 10 funcionalidades, que vão levar muito tempo para serem construídas, e que muitas delas não fazem muito sentido para o cenário atual em que você quer inserir o seu produto. É preciso que você sente com a sua equipe, faça uma análise calma e precisa do seu MVP.

A GoBacklog, por exemplo, faz isso sempre com as empresas que trabalhamos, nós fazemos sempre um exercício para definir quais as etapas em que estaremos trabalhando e muitas vezes definimos, em conjunto com o cliente, que algumas funcionalidades não precisam estar lá naquele momento.

Então nós colocamos cada uma delas em um backlog, para que elas possam ser feitas no futuro, e focamos nas mais importantes, com o objetivo de gerar impulsionamento para colocar o produto no mercado.

Por isso o MVP está completamente ligado a isso, levar uma entrega mais ágil e de qualidade, e que não leve muito tempo para a validação da ideia do seu produto, inserindo ele no mercado e ter um retorno bem mais rápido.

O seu produto pode fazer tudo em qualquer coisa, mas se você não tiver um foco e um direcionamento muito bem definido, a chance de você acabar não fazendo nada bem são muito altas.

No Vale do Silício, mudanças de mindset vêm ocorrendo a todo momento, principalmente relacionadas ao MVP. Atualmente, empresas estão começando a planejar produtos mais bem trabalhados a longo prazo. Ao que você atribui essa mudança?

Como eu disse anteriormente, é não pensar realmente nas funcionalidades que você quer para o seu produto e que vão fazer a diferença no mercado. Hoje, principalmente no Vale do Silício, o que nós temos visto são empresas que param e pensam no que realmente elas querem entregar para o usuário final.

As pessoas têm preferido, então, fazer de forma enxuta, e levar um pouco mais de tempo para inserir o produto no mercado, fazendo testes com uma base pequena de usuários.

São fases de closed beta, onde você terá um pequeno número de usuários, pessoas que você identifica que tem o perfil ideal para ser sua persona e poderá utilizar o seu produto e, assim, com elas, ir testando aos poucos as soluções.

Por isso, essa mudança de mindset veio muito forte em vários produtos que temos visto aí fora. O mais recente que vi foi o Figma, um produto que visa entregar a experiência do usuário utilizando o design de forma mais interativa.

Eles adotaram esse modelo de justamente demorar mais tempo para serem inseridos no mercado, porém chegaram com uma solução e qualidade muito alta, assim eles conseguem competir frente a frente com quem já estava no mercado há um certo tempo, por exemplo.

Isso gera uma competição muito mais justa, sem que seja lançada várias Startups e produtos que não têm às vezes muita relevância e acabam saindo do mercado, e acabam culpando o momento atual da economia, sendo que eles não deram o tempo necessário para uma maturação do produto, ou a opinião dos usuários, então essa é a mudança que vem ocorrendo.

Com o avanço da tecnologia o empreendedorismo digital tornou-se cada vez mais comum no mercado, mas atualmente este modelo de empreender vive um momento de reflexão, por quê?

Existem hoje muitos questionamento sobre os modelos atuais das Startups no meio digital. Se pegarmos algumas empresas que valem bilhões de dólares, elas têm um valor de mercado muito alto e nunca geraram lucro e nem tem a previsão de quando elas podem gerar lucro.

As pessoas têm dúvidas sobre qual o valor real dessas startups. Quando você declara oficialmente que não tem previsão de lucro e a sua empresa não tem escalado de forma inteligente, e ainda sim ela vale bilhões de dólares, isso é algo que desperta curiosidade em muitas pessoas.

O modelo atual de gestão de diversas empresas é ineficaz. Há muito dinheiro entrando na empresa e sendo investido nela, trazendo pessoas que contribuem para o crescimento do negócio, e isso fica muito mais fácil quando você tem muito dinheiro, criar novos cargos e aumentar a operação da empresa.

Porém, você tem um defeito de gestão muito grande. Por exemplo, quando você contrata uma pessoa, seja ela experiente ou não, ela precisa ter um tempo de adequação na empresa, onde ela vai conhecer os processos e vai começar a entregar resultados dentro da empresa.

O que acontece muito nessas Startups é que esse tempo é ignorado, com uma contratação muito rápida, onde as pessoas entram e ficam confusas sobre o que elas estão fazendo lá dentro, e diversas dessas pessoas ficam por meses sem entregar nada de valor de fato.

Isso acaba gerando uma frustração nelas, por não terem uma oportunidade de executar o que elas gostam dentro da empresa, e na própria empresa por não ter uma operação que seja eficaz. Por isso, nós vivemos um momento de reflexão muito grande nessa “bolha” que vêm sendo gerada dentro do Empreendedorismo Digital.

Esse conceito precisa ser revisto, porque muitas vezes você tem uma Startup que acaba saindo super valorizada e engole as outras, porque as que realmente conseguem entregar valor muitas vezes são compradas por essas startups multibilionárias e simplesmente somem do mapa, com empresas que não entregam valor para acionistas, e nem para o usuário final.

Links para Leitura

Priscylla Silva

Especialista de Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Jornalista, apaixonada por Marketing e uma grande fã de inovações tecnológicas.
Fechar
1
Oi, tudo bem? Como posso te ajudar?
Powered by