Siga-nos nas redes sociais

O conceito de Transformação Digital nem sempre é compreendido de forma correta. Muito além da utilização de recursos tecnológicos, as mudanças que ocorrem a todo momento no cenário das organizações e mercados pedem por verdadeiras transformações.

Muitos gestores, na busca por essas mudanças, acabam tornando esse processo algo mais simples e não uma transformação de mentalidade das operações, como é realmente esperado.

Nesse episódio sobre tecnologia, Amir Faria, o CMO da empresa GoBacklog, fala um pouco sobre como a Transformação Digital é importante para o varejo físico.

O varejo físico está morrendo?

Não, o varejo físico não está morrendo. Na verdade, o que está acontecendo ao varejo físico é que ele está se integrando ao varejo online, então a experiência do consumidor está se transformando.

Antes falava-se na morte do varejo físico, hoje a gente vê que não é bem assim, é outra realidade. Ele está evoluindo, adotando novas tecnologias e melhorando a experiência do consumidor em si.

Toda empresa deveria ter um e-commerce?

Não necessariamente. As empresas deveriam ter uma presença digital, porque hoje a gente já sabe por meio de pesquisas que, quando o cliente compra numa loja física, por exemplo, ele faz pesquisas sobre o produto que ele tem interesse.

Então o consumidor busca sobre marcas, produtos, e se sua empresa não estiver com a presença digital muito forte, ele vai encontrar seus concorrentes, e toda sua experiência será baseada nas de seus concorrentes, o que é totalmente prejudicial para sua marca e seu posicionamento como empresa.

Como iniciar a Transformação Digital de um varejo físico?

O primeiro passo é entender o comportamento do seu consumidor. Você poderia apostar inicialmente em um programa de fidelidade, onde é possível começar a coletar dados sobre eles, e a partir disso entender como eles se comportam.

A partir disso, melhorar a experiência deles por meio de pequenas alterações em seus processos, e assim, começar a pensar em Transformação Digital por completo.

A Transformação Digital significa menos emprego no varejo físico?

Não. Na verdade isso é um fantasma que vinha assombrando, mas hoje a gente vê que as empresas estão investindo em treinamento e capacitando sua mão de obra, para gerar uma melhor experiência para seus consumidores.

Nos Estados Unidos teve uma pequena redução de mão de obra no varejo e isso acabou acarretando uma pior experiência e uma redução do ticket médio nas lojas. Então a gente começa a ver uma regressão desse processo, por meio dessa capacitação dessas pessoas, para que elas entreguem uma boa experiência para os consumidores.

Então pensar que a tecnologia irá tirar o trabalho das pessoas é errado, a gente tem que olhar ela como aliada, saber explicar os conceitos tecnológicos e de inovação nas lojas, por meio da Transformação Digital. Lembrando sempre que o ser humano é a peça chave entre a marca e o consumidor.

Onde estão os principais gargalos dessa Transformação Digital?

Os principais gargalos continuam sendo a mão de obra. As empresas ainda não estão preparadas para Transformação Digital, as experiências que a gente tem visto dentro e fora do Brasil tem sido totalmente inovadoras, então não se consegue replicar o modelo de uma empresa em outra.

Por isso as empresas precisam pensar em inovação e Transformação Digital como um todo, capacitando suas equipes de campo, que tem contato com cliente, até gestores, para que pensem de forma digital, pensem na experiência dos clientes amplamente, aí sim as empresas vão conseguir competir nesse mercado de transformação.

Links para leitura

Priscylla Silva

Especialista em Marketing na GoBacklog, uma empresa especializada no desenvolvimento de projetos digitais que vem mudando a forma de se criar negócios digitais de sucesso. Estudante de Jornalismo na Univale, é viciada em Friends, apaixonada por música e como uma boa curiosa, é uma grande fã de novidades.
Fechar